sexta-feira, 10 de março de 2017

KRL hahú faze dahruak ba Diagnóstiku kona ba Sistema Justisa Informal (inclui versão pt)

PARTILHAR
Faze dahruak ba Diagnóstiku hahú ona iha loron Domingu, loron 5 fulan marsu ho soro-mutu introdusaun husi ekipa Komisaun ba Reforma Lejizlativa no ba Sektór Justisa (KRL) hamutuk ho ekipa investigadór sira husi Sentru Estudu Sosiál husi Universidade Coimbra (SES) iha eskritóriu KRL nian.

Iha faze ida ne’e sei hala’o nafatin diagnóstiku ba justisa tradisionál no meiu sira seluk ba rezolusaun disputa sira, liu husi konsultasaun iha instituisaun sira sektór justisa nian hanesan mós ho entidade sira administrasaun lokál, komunidade sira nian no tradisionál sira.

Ho nune’e hein katak ho diagnóstiku ida ne’e sei hari’i baze ida ne’ebé metin hodi halo ajenda no programa ida ba reforma lejizlativa no ba sektór justisa, ne’ebé bele kontribui ba polítika globál ida iha área justisa, ho kapasidade atu afirma Estadu direitu iha diversidade kultura nia laran no rekoñese direitu ba igualidade no diferénsa iha sosiedade laran.

Iha soro-mutu introdusaun ne’e halo diskusaun kona-ba planifikasaun no estratéjia sira diagnóstiku justisa informál nia faze dahruak ne’ebé hetan nu’udar objetivu prinsipál sira atu analiza kalendáriu ba entrevista sira, rezultadu no produtu sira ne’ebé hein atu hetan ho investigasaun ne’e no organizasaun ba meiu no ekipa traballu sira. Iha ne’e hahú mós analiza proposta ba estrutura relatóriu ikus iha nia ámbitu nian.

Halo ona mós previzaun dahuluk ba aprezentasaun no debate kona-ba diagnóstiku nia rezultadu sira no nia relatóriu iha konferénsia ida ne’ebé promove husi KRL, iha fulan jullu, ne’ebé ho hanoin atu loké ba públiku no hetan partisipasaun luan. 

Iha loron 6 no 7 fulan marsu ekipa investigadór sira partisipa iha asaun formasaun ida kona-ba téknika sira atu halo entrevista sira no elabora temátika sira ba entrevista sira ne’ebé sei hala’o iha traballu kampu/iha fatin.

Entrevista sira sei hahú iha loron kuarta-feira, loron 8 fulan marsu, iha munisípiu Baucau, no hafoin hala’o ba oin iha Viqueque no Lospalos.

------------------------------------

CRL dá início à segunda fase do Diagnóstico sobre o Sistema de Justiça Informal

A segunda fase do Diagnóstico começou Domingo, 5 de março com uma reunião introdutória com a equipa da Comissão para a Reforma Legislativa e do Sector da Justiça (CRL) e equipa de investigadoras do Centro de Estudos Sociais da Universidade de Coimbra (CES) no escritório da CRL.

Nesta fase será dada continuidade ao diagnóstico à justiça tradicional e aos demais meios de resolução de disputas, através de consultas tanto nas instituições do sector da justiça como a entidades administrativas locais, comunitárias e tradicionais. Desta forma é esperado que com este diagnóstico se constitua uma base sólida para a formulação de uma agenda e programa para a reforma legislativa e do sector da justiça, que contribua para uma política global na área da justiça, capaz de afirmar o Estado de direito no seio da diversidade cultural e reconhecer o direito à igualdade e à diferença na sociedade.

Na reunião introdutória foi discutida a planificação e estratégias para esta segunda fase do diagnóstico da justiça informal e teve como principais objetivos a análise ao calendário das entrevistas, os resultados e produtos esperados com esta investigação e a organização dos meios e equipas de trabalho. Foi também iniciada a análise da proposta de estrutura do relatório final nesse âmbito.

Fez-se uma primeira previsão para a apresentação e debate dos resultados do diagnóstico e seu relatório numa conferência promovida pela CRL, em julho, que se pretende que venha a ser pública e tenha uma ampla participação.

Durante os dias 6 e 7 de março a equipa de investigadoras participa numa ação de formação sobre técnicas de entrevistas e elaboração das temáticas das entrevistas a realizar no trabalho de campo.

As entrevistas terão início na quarta-feira dia 8 de março no município de Baucau, seguindo-se Viqueque e Lospalos.

PARTILHAR

Author: verified_user

Publicação luso-timorense sem fins lucrativos

0 comentários: