quinta-feira, 20 de setembro de 2018

CNRT vai pedir investigação do parlamento timorense a projeto de Oecusse -- Xanana Gusmão

CNRT vai pedir investigação do parlamento timorense a projeto de Oecusse -- Xanana Gusmão


Díli, 20 set (Lusa) - Xanana Gusmão, líder do maior partido do Governo timorense, o CNRT, informou o Presidente da República que vai propor uma comissão para investigar as responsabilidades "financeiras e disciplinares" por infrações detetadas no projeto do enclave de Oecusse.

"A bancada do CNRT irá tomar a iniciativa de propor que seja constituída uma comissão de inquérito do Parlamento Nacional a fim de que se assegure a execução das responsabilidades financeiras e disciplinares por infrações detetadas pela Câmara de Contas, neste volumoso dossier", escreve Xanana Gusmão numa carta enviada ao chefe de Estado obtida hoje pela Lusa.

Na carta, datada de 10 de setembro e que tem como assunto "a importância do Estado versus a importância de indivíduos", Xanana Gusmão refere-se a uma polémica auditoria da Câmara de Contas timorense ao projeto da Região Administrativa Especial de Oecusse-Ambeno (RAEOA) referente ao ano de 2014.

O conteúdo do parecer, onde são detetadas várias alegadas regularidades, não foi até agora revelado oficialmente pelo Tribunal de Recurso, mas partes do texto têm sido divulgadas nas últimas semanas nas redes sociais timorenses.

O projeto, criado durante o V Governo, em que Xanana Gusmão era primeiro-ministro, é liderado por Mari Alkatiri, primeiro-ministro do VII Governo e secretário-geral da Fretilin, atualmente a maior força política da oposição, da qual o Presidente da República, Francisco Guterres Lu-Olo, ainda é presidente.

Na carta de três páginas Xanana Gusmão diz ainda que a bancada do Congresso Nacional da Reconstrução Timorense (CNRT) - maior força política da Aliança de Mudança para o Progresso (AMP), a coligação do Governo - vai propor também pedir à Câmara de Contas que conclua "com urgência" uma auditoria à RAEOA referente aos anos entre 2016 e 2018.

"E finalmente, para que as conclusões sejam justas e aceites por todos como não politizadas, a bancada do CNRT vai propor ainda ao Parlamento Nacional uma auditoria à RAEOA/ZEESM desde o ano 2014 a este ano, 2018", refere ainda.

"Pelo facto de vivermos numa sociedade onde o controlo social tem sido fundamental para a avaliação imparcial do desempenho dos governantes, irei seguidamente enviar também copias deste dossiê para as organizações da sociedade civil, incluindo a imprensa escrita", refere.

Na carta, marcada pela ironia, Xanana Gusmão diz estar a responder ao "challenge" que representou a "imponente mensagem" de 20 de agosto do chefe de Estado, em que Francisco Guterres Lu-Olo se refere à situação política.

Um discurso, escreve Xanana Gusmão, em que o Presidente "recomendou ao povo refletir e considerar, e consequente, retirar as devidas lições, sobre o que era mais importante: os 9 (onde se incluem 7 quadros do CNRT) não empossados, ou a nação".

O líder do CNRT explica que decidiu enviar a documentação referente à auditoria "para aliviar o difícil trabalho de vossa excelência nesta nobre missão de velar pelos interesses da nação".

"Estou plenamente confiante de que os exímios assessores jurídicos e financeiros que rodeiam vossa excelência estarão altamente dotados da genialidade da sua expertise para detetarem mais apropriadamente as possíveis gravíssimas falhas da Câmara de Contas e assim impedir que vossa excelência, senhor Presidente, tenha que tomar decisões extemporâneas ou totalmente fora do necessário contexto político, por passíveis conclusões apressadas sobre possíveis conflitos de interesses", afirmou.

Nos bastidores da polémica está uma situação que se arrasta desde junho e que diz respeito a nove membros do Governo indigitados pelo primeiro-ministro Taur Matan Ruak, aos quais o Presidente da República, Francisco Guterres Lu-Olo, não deu posse, alguns por terem "o seu nome identificado nas instâncias judiciais competentes" e outros por possuírem "um perfil ético controverso".

O Governo apresentou nomes alternativos a três deles e o Presidente acabou por assinar, nesses casos, decretos de nomeação que acabaram por não ter efeitos práticos, já que os ministros nomeados não tomaram posse, em solidariedade com os restantes colegas.

Um deles foi Xanana Gusmão que foi nomeado por duas vezes para cargos diferentes no Governo da coligação da Aliança de Mudança para o Progresso (AMP) e que acabou por nunca tomar posse, afastando-se depois do grupo de ministeriáveis.

ASP // JPS
Mari Alkatiri diz que já tinha pedido auditoria a projeto de enclave timorense de Oecusse

Mari Alkatiri diz que já tinha pedido auditoria a projeto de enclave timorense de Oecusse


Pante Macassar, Timor-Leste, 20 set (Lusa) - O presidente da Região Administrativa Especial de Oecusse-Ambeno (RAEOA), Mari Alkatiri, disse hoje que está, com a sua equipa, a trabalhar nas recomendações de um relatório de auditoria da Câmara de Contas timorense sobre o projeto do enclave timorense.

Em declarações à Lusa, Alkatiri desdramatizou igualmente a decisão do Congresso Nacional da Reconstrução Timorense (CNRT), maior partido da coligação do Governo, de solicitar uma auditoria adicional à RAEOA, afirmando que ele próprio já a tinha pedido.

"A auditoria que se está a pedir já foi pedida por mim quando fui primeiro-ministro. Eu próprio pedi a auditoria porque também quero saber exatamente como as coisas têm andado", disse Alkatiri, que chefiou o VII Governo, minoritário, entre 2017 e as eleições antecipadas deste ano.

Alkatiri reagia assim ao conteúdo de uma carta de Xanana Gusmão, presidente do CNRT, ao Presidente da República, em que diz que o seu partido vai propor uma comissão parlamentar para investigar as responsabilidades "financeiras e disciplinares" por infrações detetadas no projeto do enclave de Oecusse.

"A bancada do CNRT (...) irá tomar a iniciativa de propor que seja constituída uma comissão de inquérito do Parlamento Nacional a fim de que se assegure a execução das responsabilidades financeiras e disciplinares por infrações detetadas pela Câmara de Contas, neste volumoso dossier", escreve Xanana Gusmão na carta enviada a 10 de setembro ao chefe de Estado, Francisco Guterres Lu-Olo, e obtida hoje pela Lusa.

O conteúdo do parecer, em que são detetadas várias alegadas irregularidades, não foi até agora revelado oficialmente pelo Tribunal de Recurso, mas partes do texto têm sido divulgadas nas últimas semanas nas redes sociais timorenses.

Na carta, Xanana Gusmão diz que vai distribuir cópias do relatório à imprensa. Excertos do documento têm sido divulgados por páginas do CNRT e de alguns militantes do partido no Facebook.
Questionado sobre o relatório, Mari Alkatiri remeteu declarações para mais tarde.

"Não quero comentar publicamente sobre o relatório porque ainda estamos a responder às recomendações. O relatório dá um prazo de seis meses, que vai até fevereiro de 2019, para trabalhar sobre as recomendações", explicou.

Alkatiri lamentou ainda o que diz ser o "objetivo político" de divulgar elementos parciais do relatório nas redes sociais, recordando que este "não é o primeiro relatório da Câmara de Contas sobre instituições do Estado, mas o único que tem sido politizado por uma certa corrente".

No rescaldo das eleições antecipadas de maio - ganhas com maioria absoluta pela coligação AMP (que integra o CNRT) - os líderes Xanana Gusmão e Taur Matan Ruak (atual primeiro-ministro) tinham afirmado que esperavam que Mari Alkatiri, líder da Fretilin, se demitisse do cargo na RAEOA.

Os líderes da AMP chegaram mesmo a prometer afastar Alkatiri na primeira reunião do Conselho de Ministros.

Questionado sobre esse aspeto, Alkatiri disse que está no cargo porque foi empossado para tal pelos órgãos correspondentes que "podem agora tomar decisões contrárias".

"Isso em nada me ofende. Se me tivesse resignado ou demitido seria mais difícil tornar as coisas mais claras [no que toca à auditoria]. Mas acho que tem havido mais ponderação por parte do órgão de tutela e do senhor Xanana Gusmão, para não me tirar daqui", disse.

"Mas isso pode ocorrer a todo o momento, claro. O meu mandato termina a 30 de julho e até lá vou fazer o melhor possível para colaborar", afirmou.

Sobre a situação política atual do país, Alkatiri - que não falava alargadamente aos jornalistas desde junho - disse que decidiu afastar-se "intencional e conscientemente".
"Há aqui um jogo entre órgãos de soberania e eu estou fora de todos os órgãos de soberania e não quis estar implicado nas contradições entre os órgãos de soberania", disse.

"Estando fora, embora servindo o Estado, achei que devia abster-me de me pronunciar sobre isto e continuo com esta postura", sublinhou.

ASP // VM

quarta-feira, 19 de setembro de 2018

TL Presiza Atinje Milliaun 450 Molok 2020

TL Presiza Atinje Milliaun 450 Molok 2020


DILI, (TATOLI) – Kordenadora Reforma Fiskál, Fernanda Borges, hatete Timor-Leste (TL) presiza atinje milliaun $450 molok 2020, maibé atu hetan ida ne’e la’ós ukun-na’in sira de’it mas  timoroan hotu.

“Ba timoroan hotu atubele asegura katak ita iha osan uitoan kobre ita-nia reseita, ita-nia kustu operasionál hanesan ita-nia saláriu, ita-nia pensaun presiza kobre milliaun 450, ne’e target ida ba timoroan hotu-hotu, la’ós ba Governu, la’ós de’it ba ukun-na’in sira”, Fernanda katak hafoin aprezenta prioridade Reforma Fiskál nian iha ámbitu jornada orsamentál iha Aitarak-Laran, tersa ne’e.

Nia hatutan: “Ema serbisu administrasaun, ita hotu hakarak atinje ida ne’e, ita hotu dudu hamutuk, ita sei konsege, nune’e ita ladepende ba ita-nia Mina-rai”.

Atu atinje alvu ne’e, Reforma Fiskál tau iha prioridade sira maka presiza sosa sistema ba Autoridade Tributária, aumenta sistema Asycuda World, atubele halo janela únika hodi fasilita komérsiu di’ak liután, presiza sosa pakote aplikasaun kontabilidade hanesan MYOB (Mind Your Own Business) hodi tau iha ministériu no ajénsia autónoma hotu ne’ebé koleta reseita hodi bele iha kontabilizasaun reseita di’ak liután.

“Ita presiza servisu hamutuk ho Banku Sentrál atu kria pagamentu eletróniku husi intenét ba komérsiu hodi la’o ho di’ak, selu impostu sira lalais nomós ba impostu sira ki’ikoan hanesan eletrisidade ka bee, presiza iha kartaun mobile nian”.

Aleinde ne’e presiza halo reabilitasaun uitoan ba Alfándega nia fatin serbisu no hadi’a uma iha Portu Dili para serbisu integradu la’o, kria fatin ne’ebé koleta reseita, fó atendimentu públiku di’ak ho progresivamente.

“Ita presiza harii edifísiu ba Alfándega no Tributária hodi sira bele fó prestasaun servisu ho di’ak, presiza tau matan ba infraestrutura sira seluk, portu, aeroportu Dili nian JICA mak sei tulun ita, Reforma Fiskál ajuda atubele halo planu para iha Alfándega nia área ne’ebé ema tama mai prosesa sasán iha aeroportu laran, ami ajuda ona”.

Tanba ne’e atubele to’o iha alvu ne’e maka presiza halo lei foun, hadi’a lei, introdús IVA (impostu sobre valór akresentadu), hola sistema foun, rekruta ema foun ba kada autoridade aduaneira 250 no tributária 250, maibé progresivu, tanba tenke forma sira no buat barak mak reforma halo ona, maibé tenke dudu maka’as liu para la’o no konkretiza osan tenke tama kofre.

Hafoin aprezentasaun sobre prioridade ne’ebé Reforma Fiskál hato’o, Primeiru-Ministru, Taur Matan Ruak, husu Ministra Finansas en ezersísiu atu tenta osan lalais ba ida ne’e bainhira rona baze legál ne’ebé aprezenta.

Jonalista: Maria Auxiliadora | Editora: Rita Almeida

Imajen: Kordenadora Reforma Fiskál, Fernanda Borges. Imajen Egas Cristovao.
Governu timoroan define kombate kiak hanesan prioridade OJE nian ba tinan 2019

Governu timoroan define kombate kiak hanesan prioridade OJE nian ba tinan 2019


Xefe governu timoroan, Taur Matan Ruak, define iha loron-tersa ne'e hanesan objetivu orsamentu nasaun nian kombate kiak liu hosi diversifikasaun ekonomika.

Iha nota ida ne'ebé haruka iha loron-tersa ne'e, Taur Matan Ruak hatete katak objetivu prinsipal sira planu nian ba mandatu Governu nian iha tinan lima tuirmai maka hamenus pobreza ba 10%, kria rihun 60 postu ba serbisu no "diversifika ekonomia", ne'ebé maka kontinua depende ba petroleo.

Governu timoroan konklui iha loron-tersa ne'e debate inisial ba preparasaun Orsamentu Jeral Estadu nian ba tinan 2019, defini limite fiskal ne'ebé varia entre dolares rihun millaun 1,1 no 1,35, refere ezekutivu ne'e.

Loron hira tuirmai, Konsellu Ministru, sei analiza senariu propostu tolu - ida rihun millaun 1,1, seluk rihun millaun 1,22 resin no datoluk rihun millaun 1,35 - antez fiksa limiti masimu ba gastu sira ba tinan oin.

Debate gastu sira nian no aumentu ba reseita sira laos petrolifera sira, inkluin mós liu hosi reforma fiskal, sai hanesan prioridade sira seluk.

Sara Lobo Brites, ministra Finansas em ezersisiu, hatete katak konta sira ba tinan 2019 "asenta iha prinsipal prinsipiu lima", liuliu "sustentabilidade fiskal, foku iha prioridade nasional sira, rasionalizasaun gastu sira, kapasidade ezekusaun nian no kapasidade ekonomika hodi absorve orsamentu".

"Jornada Orsamental sira", tradisionalmente, hanesan debate naruk dahuluk iha ezekutivu no ho responsavel sira seluk administrasaun nian, institutus no orgaun publiku sira, iha preparasaun konta anual sira Estadu nia.

Debate ne'e halao kuandu Estadu ne'e moris dezde loron 01 Janeiru iha duodesimu no Prezidente Republika analiza hela OJE ba tinan ne'e, ne'ebé maka haruka ba nia iha loron 10 Setembru.

Iha loron tolu dahuluk debate nian konaba konta sira tinan 2019 nian, sorumutu ne'e konta deit ho prezensa membru sira Governu nian no iha loron-segunda no loron-tersa ne'e alarga ba seminariu publiku ida.

Entre partisipante sira semana ne'e konta ho prezidente no komisariu Komisaun Funsaun Publika nian (CFP), reprezentante Banku Sentral nian, kordenadora Komisaun Reforma Fiskal nian, diretor jeral no nasional sira, reprezentante Ajénsia Publika Autonomas sira, reprezentante Autoridade munisipiu 12 sira no Autoridade Rejiaun Administrativa Espesial Oecusse-Ambeno no reprezentante sosiedade sivil.

Iha enkontru ne'e debate konabá aspetu sira hanesan Prioridade Nasional sira ba OJE, metodu no medida sira hodi implementa, "ho forma kordenada no adekuada" Planu Estratéjiku Dezenvolvimentu nian ba tinan 2011-2030, Objetivu sira Dezenvolvimentu Sustentavel nian, Programa VIII Governu Konstitusional no Planu Asaun Anual sira.

Iha loron rua ikus "Jornada Orsamental" nian ne'e debate konabá kestaun sira hanesan sistema planeamentu no jestaun finansa publika sira iha ámbitu ba definisaun prioridade nasional sira no ho baze iha "prinsipiu sustentabilidade fiskal, rasionalizasaun ba gastu sira no utilizasaun ba rekursu sira finansas publika ho kualidade".

"Hodi determina prioridade nasional sira no limite orsamental, ho forma rasional, efikaz no sustentavel, diskusaun ne'e aborda materia sira hanesan planeamentu no orsamentu, avaliasaun dezempeñu sosioekonomiku ho analiza ba dezempeñu iha despeza atual sira, reforma ekonomika no fiskal, no dezempeñu investimentu fundu petroliferu nian" esplika Governu ne'e.

Ministeriu Finansas nian antesipa katak preparasaun b aproposta OJE nian demora entre 60 no 70 antes aprezenta ba Parlamentu Nasional.

SAPO TL ho Lusa
Opozisaun timoroan hakarak lei antikorupsaun no kombate ba gastu arbiru orsamental

Opozisaun timoroan hakarak lei antikorupsaun no kombate ba gastu arbiru orsamental


Partidu boot opozisaun timoroan, Fretilin, defende iha loron-segunda ne'e aprovasaun urjente ba lei antikorupsaun no medida sira ne'ebé evita gastu arbiru orsamental, ho aposta ida iha diálogu politiku hodi rezolve problema sira nasaun nian.

Intervén iha parlamentu, Aniceto Guterres Lopes, xefe bankada Frente Revolucionária do Timor-Leste Independente (Fretilin) nian hatete katak "xave hodi alkansa melloria ba kondisaun sira nasaun ne'e nian maka governasaun ida ne'ebé diak".

Tanba ne'e, nia hatete katak, tenki evita gastus arbiru no atua ho rigor iha firkalizasaun implementasaun programa governu nian no iha ezekusaun orsamental, ho "politika kualidade ne'ebé investe iha kualidade".

Aniceto Guterres Lopes koalia iha sesaun solene ne'ebé maka marka iha loron segunda ne'e aranke ba 5ª lejislatura Parlamentu Nasional nian ho prezensa Prezidente Republika nian.

Iha nia diskursu, antigu prezidente parlamentu nian hatete katak Fretilin preokupada ho kestaun divida sira deskontrolada Estadu nian" no afirma katak so bele hadiak situasaun ne'e ho ambiente dialogu nian, no "buka konsensu ida".

Tanba ne'e, nia afirma katak, esensial hakotu ho "ambiente deskonfiansa no ódiu, ho perseguisaun grupu ida ho grupu seluk" tanba "demokrasia ejiji dialogu ne'e hodi rezolve problema sira" nasaun nian.

Adriano do Nascimento, prezidente bankada Partidu Demokratiku (PD), hsuik kritika ba lidere istoriku no politiku sira nasaun nian katak "kria tiha krize no difikuldade politiku tinan iku ne'e".

Atitude ida ne'ebé kontribui hodi "halo unidade nasional no konsolidasaun Estadu nian sai fraku" no hodi rezulta, hatete, ba falta hodi tau interese nasional sira ass liu hotu hafoin eleisaun tinan 2017.

Nia fó hanoin mós katak, hafoin ne'e iha kampaña tinan 2018, lider politiku sira "minimiza tiha esforsu sira iha setor balun sosiedade nian" iha luta ba lideransa, no tau iha konfrontu frente oioin ba luta (armada, diplomátika no klandestina).

"Lider politiku sira, envezde defende demokrasia no respeita multikulturalidade no multietnisidade, sira tenta fali fahe ho rasa, etnia no relijiaun", hatete, no halo situasaun ida ne'ebé halo imajen nasaun nian kanek.

Ba PD, konstrusaun Estadu nian no dezenvolvimentu nasional la konkista ho sem "maturidade politika, sentidu Estadu nian, no konfiansa no esperansa povu nian" no problema seriu sira nasaun nian, hanesan dezempregadu, ne'ebé kontinua nakonu.

António de Sá Benevides, prezidente bankada PUDD nian mós, husu tan dialogu hodi buka konsensu, tantu iha parlamentu no mós iha nível lidere istoriku sira ne'ebé maka tenki kontribui pozitivu hodi eduka jerasaun foun sira.

"Estadu ne'e la presija sai pai natal, tenki sai pai ba dezenvolvimentu nasaun nian", hatete, afirma mós katak interese Estadu nian tenki ass liu interese pesoal ka partidu nian.

Benevides mós refere tan katak sei iha dialogu entre Prezidente Republika no primeiru-ministru, hodi bele rezolve tomada de pose ba membru sira balun Governu nian, kestaun ne'ebé maka "lansa duvida no preokupasaun sira" iha populasaun.

Koalia ba prinsipal lider istoriku sira nasaun nian, Benevides hatete katak tenki serbisu "sein orgullu no arogánsia" hodi "ajuda eduka jerasaun foun sira".

SAPO TL ho Lusa
Ex-Presidente Ramos-Horta apela a diálogo entre líderes para resolver impasse em Timor

Ex-Presidente Ramos-Horta apela a diálogo entre líderes para resolver impasse em Timor


Díli, 19 set (Lusa) - O ex-Presidente timorense José Ramos-Horta apelou hoje aos líderes nacionais e em particular a Xanana Gusmão, presidente do maior partido da coligação do Governo, para que resolvam rapidamente o impasse político no país.

O caso mais polémico, e que está desde junho por resolver, diz respeito a nove membros do Governo indigitados pelo primeiro-ministro Taur Matan Ruak e a quem o Presidente da República, Francisco Guterres Lu-Olo, ainda não deu posse, alguns por terem "o seu nome identificado nas instâncias judiciais competentes" e outros por possuírem "um perfil ético controverso".

O Governo apresentou alternativas a três deles e o Presidente acabou por assinar, nesses casos, decretos de nomeação que acabaram por não ter efeitos práticos, já que os ministros nomeados não tomaram posse, em solidariedade com os colegas.

Um deles foi Xanana Gusmão que foi nomeado por duas vezes para cargos diferentes no Governo da coligação da Aliança de Mudança para o Progresso (AMP) e que acabou por nunca tomar posse, afastando-se depois do grupo de ministeriáveis.

Xanana Gusmão, cujo nome foi anunciado durante a campanha eleitoral pelo presidente ao Congresso Nacional da Reconstrução Timorense (CNRT) como futuro primeiro-ministro, acabou por deixar esse lugar para o número dois da AMP, Taur Matan Ruak, que lidera o Partido Libertação Popular (PLP).

"Daqui faço apelo ao meu irmão mais velho, Xanana Gusmão. Ele pode dizer que não é primeiro-ministro, dizer que não quer interferir ou intervir, mas ele não deixa de ser o maior pai desta nação. Este país não seria livre e independente sem a sua visão estratégica naqueles anos duríssimos", disse à Lusa Ramos-Horta.

"Portanto não pode escapar à sua responsabilidade de patrono deste projeto de independência de Timor. Assuma a sua responsabilidade como sempre fez no passado, converse com o Presidente Lu-Olo, com Mari Alkatiri, com outros membros dos partidos da oposição, para encontrar a melhor estratégia político governativa para os próximos cinco anos, que vão ser difíceis", afirmou.

A situação política levou já as bancadas do Governo no Parlamento Nacional a chumbar dois pedidos de autorização de visita do Presidente da República ao estrangeiro, a primeira para julho, em Portugal, a segunda para esta semana, em Nova Iorque.

Ramos-Horta considera que "é preciso mobilizar consenso político nacional e recursos nacionais para o verdadeiro arranque económico que inclui o desenvolvimento da costa sul" e que todos estão à espera de um passo de Xanana Gusmão.

Apesar de se mostrar confiante que a atual estabilidade social se manterá e que não haverá violência, Ramos-Horta disse que é "palpável a frustração da sociedade, dos jovens" e a "desconfiança em que os lideres estão a cair perante a população".

Ao mesmo tempo, Ramos-Horta pediu hoje ao Presidente da República para que promulgue o mais rapidamente possível o Orçamento Geral do Estado para 2018, já que o país necessita urgentemente de fundos para reativar a economia.

"Há sempre o perigo de as pessoas, os jovens, os veteranos, perderem a paciência. Não havendo financiamento, a crise social aumenta e as pessoas precisam de dinheiro para comer e dar de comer aos seus filhos", disse à Lusa, em Díli.

Ramos-Horta recorda que o Orçamento tem que ser "promulgado o mais rapidamente possível" porque o executivo já tem pouco mais de três meses para desembolsar o dinheiro referente a 2018, ano em que o país tem estado a viver com duodécimos.

"O Presidente da República já teve muito tempo, acompanhou o debate do Orçamento no Parlamento e o partido de que ele ainda é presidente, a Fretilin, apoiou, portanto não me parece que haja razão para demora", disse.

"Não estamos numa situação normal em que ele tem um mês. Estamos numa situação anormal, logo deve acelerar o processo de promulgação do Orçamento", defendeu.

ASP // JMC
Timor-Leste quer aprovar até dezembro moratória sobre importação de plástico

Timor-Leste quer aprovar até dezembro moratória sobre importação de plástico


Díli, 19 set (Lusa) - O Governo timorense quer aprovar até dezembro uma moratória sobre a importação de plástico e vai trabalhar com o setor privado para encontrar produtos e medidas alternativas, anunciou hoje o secretário de Estado do ambiente.

"Queremos começar a fasear o fim do uso do plástico em Timor-Leste e estamos já em contacto com empresas para encontrar alternativas para o substituir", disse Demétrio de Amaral de Carvalho.

"Até dezembro queremos levar ao Conselho de Ministros um diploma interministerial sobre uma moratória sobre a importação de plástico a partir de 2019", afirmou, num evento sobre o combate ao uso do plástico em Timor-Leste.

O plástico é um dos maiores problemas ambientais no sudeste asiático, com os oceanos da região a registarem elevados níveis de poluição deste tipo de lixo, que continua a aumentar significativamente.
Vietname, Filipinas e Indonésia estão entre os maiores poluidores de plástico do mundo.

"Este é um esforço que tem de ser de todos, das lojas de todas as dimensões, de quiosques médios e pequenos. Temos que reduzir a quantidade de plástico. Em janeiro vamos começar a implementar isto", disse.

"Temos que reforçar mecanismos de substituição para encontrar produtos ou medidas alternativas, talvez ter aqui algumas empresas que possam vir a produzir esses produtos em Timor-Leste", explicou.

Demétrio de Carvalho falava na abertura do seminário "Menos plástico, mais qualidade de vida", no qual se debateram soluções para reduzir a utilização de plástico em Timor-Leste.

"Entre 18 a 20 por cento do lixo que vai para [a lixeira de] Tibar é plástico. Se reduzirmos o plástico conseguiremos reduzir o lixo e evitar a grande poluição dos oceanos", afirmou.

Encontrar alternativas para o uso do plástico pode ser igualmente importante para o setor privado que gasta valores significativos em sacos, contentores ou outro material de uso único.

Como exemplo, o secretário de Estado deu o caso de um dos supermercados de Díli que diariamente usa, em média, 175 quilos de plástico, vendidos pelo principal importador do país a preços de entre 75 a 80 dólares por cada 25 quilos.

"Anualmente gastam cerca de 200 mil dólares (171 mil euros). Se seguirmos melhores políticas de plástico, num ano o setor privado pode poupar entre 1,5 e dois milhões de dólares (entre 1,29 e 1,71 milhões de euros), abrindo novas oportunidades de negócios no setor verde", disse.

José Ramos-Horta, ex-Presidente da República, interveio no encontro para deixar uma mensagem dirigida particularmente para os jovens, que vão para as praias "namorar" ou que sobem aos pés da estátua do Cristo Rei e depois deixam lá o lixo.

"Será que os jovens timorenses amam mesmo a nossa terra? Ouço os jovens a dizer que amam o país. Mas vou ao Cristo Rei e mesmo aos pés da estatua, há plástico em todo o lado", disse.

"Se eu fosse Deus e alguém deitasse lixo aos meus pés eu mandava-lhe um raio. Sobem com garrafa de água e depois deixam-na lá. Vão para as praias com as namoradas e namorados, com lixo, e deixam-no lá. Isso não é amar o país", afirmou.

O seminário é uma iniciativa da Scope Asia, uma organização com delegações na Suíça, Índia e Timor-Leste que trabalha com parceiros em vários países e em vários setores, incluindo a proteção ambiental.

Entre os parceiros envolvidos no caso de Timor-Leste estão as empresas Avani, que produz alternativas para o uso de plástico, e a Kmanek, uma das envolvidas na campanha.

O seminário abordou questões como eliminar garrafas de plástico no consumo de água e 'ecoboxes' para o uso de lixo orgânico, contudo, durante a iniciativa, cada uma das mais de 100 cadeiras do público tinham em cima uma garrafa de água de plástico, não havendo disponível qualquer outra forma para distribuir ou consumir água.

O uso das garrafas de plástico e de caixas de espuma de poliestireno ou plástico para refeições representam uma das partes mais significativas do lixo em Timor-Leste.

ASP // JMC
Como e para onde queremos ir no âmbito do processo de desenvolvimento de Timor-Leste?

Como e para onde queremos ir no âmbito do processo de desenvolvimento de Timor-Leste?

Roger Rafael Soares * | opinião

Uma questão que, a meu ver, envolve por si só um processo complexo, implicando várias variáveis de natureza individual, social, institucional, económica e política, na medida em que o mesmo exige o envolvimento de todos, com maior ou menor capacidade de intervenção ou área de atuação ou decisão. Desenvolver Timor Leste requer soluções à resolução dos problemas e desafios, requisitando-se à atuação de cada timorense como transformador do social, claro está a enorme influência da atuação, intervenção e regulação do Estado no processo de desenvolvimento da Nação, que não deve apenas passar pela vertente económica, mas também social, política e ambiental. Ao Estado cabe gerir, intervir e regular o interesse geral, legitimado por uma série de dispositivos constitucionais e legais. De acordo com a lei suprema, cabe ao Estado garantir o cumprimento de uma série de objetivos conforme dispostos no Artigo 6.º (Objetivos do Estado) da Constituição RDTL.

O papel do Estado e as formas da sua intervenção nas diversas atividades do funcionamento do país são fundamentais para o desenvolvimento sustentável de Timor-Leste mediante promoção de políticas públicas que promovam desenvolvimento económico, progresso social, com redução das desigualdades sociais e sustentabilidade.
É certo que existem divergências políticas no que respeita à conceção do ideal de desenvolvimento para a nação, no entanto não devemos encarar essas divergências como algo necessariamente negativo ou entrave, mas antes como veículo ou estímulo a mudanças e melhorias na promoção do bem-estar geral do povo – desenvolvimento nacional. Aos atores políticos cabe a conceção e tomada de decisão sobre as politicas públicas, mas é à estrutura administrativa do Estado – Administração Pública – que cabe a execução dessas politicas. Portanto, a cooperação e colaboração entre todos é fundamental na operacionalização das ações governamentais, de forma a responder às demandas e desafios económicos e sociais do país. Não nos podemos esquecer do papel fulcral da Administração Pública na operacionalização da burocracia implicada no âmbito da execução das politicas públicas e do serviço publico, pelo que o funcionalismo público é tido como um elemento relevante no bom desempenho das diretrizes tomadas ou a serem tomadas pelo executivo. Ao processo de desenvolvimento nacional está subjacente a existência de políticas de desenvolvimento fragmentado, como seja o desenvolvimento social, o desenvolvimento educacional, o desenvolvimento económico, o desenvolvimento sustentável, entre outros. Dessa forma, o processo de desenvolvimento requer a contribuição de todos, a participação da coletividade, pelo que a liderança estratégica do Estado, bem assim os mecanismos de intervenção por si desenvolvidos em matéria de desenvolvimento de políticas sociais e económicas que promovam oportunidades aos timorenses de se desenvolverem pessoalmente, assim como exercerem o seu papel como agente participativo e transformador da sociedade. Não descurando da importância decisiva dos timorenses, também, investirem nessas oportunidades.

Tenho para mim que a promoção do desenvolvimento sustentável, justo e equitativo será resultado de um esforço e cooperação coletivos, passando pelo esforço dos timorenses, Instituições e Estado.

Rojer Rafael Tomás Soares,
Ailili, Manatuto
CCI-TL Ezije Labele Politiza Projetu 142

CCI-TL Ezije Labele Politiza Projetu 142


DILI: Kámara Komérsiu Indústria-Timor-Leste (CCI-TL) ezije ba polítiku na’in sira atu labele politiza projetu 142 ne’ebé emprezáriu nasionál sira implementa ona.

Presidente CCI-TL, Óscar Lima hatete, projetu 142 ne’ebé iha governu anteriór fó emprezáriu nasionál sira implementa ne’e balun remata ona balun seidauk.

Iha Orsamentu Jerál Estadu (OJE) 2018 ne’ebé aprova ona hodi hein Prezidente Repúblika atu promulga, hanesan meiu ida oinsá atu funsiona mákina estadu oinsá mós atu hakbiit ekonomia rai laran liu husi investimentu públiku.

Iha investimentu públiku emprezáriu nasionál sira barak brani investe ho nia osan 5% husi totál osan projetu nian atu garante ba governu hodi implementa obra ne’e.

Ba projetu 142 ne’ebé ohin loron sai hanesan pontu interrogasaun ne’e emprezáriu sira tau ona ninia osan hodi halo konstrusaun tanba hetan adjudikasaun direita husi governu anteriór.

Kuandu governu halo adjudikasaun direita husu kompañia atu implementa projetu ruma, nune’e kompañia ne’e hetan autorizasaun sira fiar metin hodi lori osan 5% ne’e sai hanesan garante ba projetu.

“Husu ba polítiku na'in sira atu halo polítika iha Parlamentu Nasionál maibé tenke hanoin povu nia-moris”, dehan nia iha knaar fatin, Akait-Dili, Sesta (14/9).

Nia hatete, projetu sira ne’e implementa tanba Governu maka fó garantia, tanba ne’e atu tuir regra ka lae, labele fó sala ba emprezáriu sira maibé tenke halo levantamentu ida oinsá bele rezolve.

Projetu ne’e barak finaliza ona maibé emprezáriu balun seidauk selu ninia traballadór sira to’o agora tanba osan laiha osan, hein governu atu halo pagamentu maibé laiha kuaze tinan ida resin ona.

Ne’e duni, prosesu ne’e la'ós afeta de’it ba emprezáriu sira maibé mós povu ki'ik sira ne’ebé servisu ba iha projetu ne’e hotu.

Óscar konkorda PN atu halo inkéritu parlamentár hodi halo levantamentu dadus ba pagamentu projetu, la'ós atu halo inkéritu atu la selu. Karik iha levantamentu ne’e maka balun no seuk laiha maka sei hamate emprezáriu nasionál.

Nia hatete, polítika governu hakarak atu dezenvolve ekonomia iha rai-laran, entaun emprezáriu nasionál mai sai hanesan parseiru. Tanba ne’e, husu ba governu buka meius solusiona problema ne’e oinsá atu labele halakon parte ida.

Artur da Luz | Independente
MF Aprezenta Senáriu Tolu Ba OJE 2019

MF Aprezenta Senáriu Tolu Ba OJE 2019


DILI, (TATOLI) - Diretór Jerál Finansas Estadu Ministériu Finansa (MF), Januário da Gama, hatete MF aprezenta ona senáriu prinsipál tolu ba Orsamentu Jerál Estadu (OJE) 2019 no ida ne’ebé sustentavel liu mak senáriu ki’ik iha billaun $1.1, médiu billaun $1.218 no senáriu aas liu maka billaun $1.350, maibé seidauk iha desizaun tanba tenke haree ba prioridade sira iha tinan oin.

“Tetu sira ne’e ho senáriu tolu ne’ebé Ministériu Finansas aprezenta sei kontinua nafatin aprezenta ba iha konsellu ministru iha semana ida ne’e para depois halo apresiasaun no tetu politika ida hodi bele utiliza hanesan plafon ofisiál ba orsamentu jerál 2019 nian”, Januário afirma iha konferénsia imprensa hafoin sesaun jornada orsamentál remata iha Aitarak-Laran, ohin.

Diretór Jerál ne’e hatutan tempu ba preparasaun OJE 2019 nian tuir lei orsamentu no jestaun finanseira hatete iha 15 outubru 2018 tenke halo ona submisaun, maibé ho sirkuntánsia ne’ebé iha MF sei halo ezersísiu ida hodi halo projesaun ida.

“Será ke tempu ne’ebé iha sufisiente atu aprezenta. Husi faze preparasaun to’o finál, ami presiza pelu menus loron 69 para bele konklui preparasaun orsamentu”, katak.

Nune’e iha loraik ne’e MF sei halo análiza kle’an ida ba tetu ne’ebé aprezenta no halo distribuisaun ba ministériu no instituisaun sira depois aprezenta iha konsellu ministru.

“Iha semana ida ne’e ha’u fiar katak entre kinta ka sesta ida bele halo ona aprezentasaun ba konsellu ministru”.

Sekretáriu Estadu Komunikasaun Sosiál (SEKOMS), Merício Juvenal dos Reis “Akara”, hatete sobre aprezentasaun OJE 2019 iha PN sei halo tuir posesu normál no importante maka labele liu tempu ne’ebé fó.

“Másimu ne’e iha dia 15 de outubru, ne’ebé regra mak durante ne’e la’o ita kumpri hanesan Primeiru-Ministru ko’alia ita esforsu atu kumpri regra”.

Jornalista: Maria Auxiliadora | Editór: Manuel Pinto

Imajem: Sekretáriu Estadu Komunikasaun Sosiál, Mericio Juvenal dos Reis Akara (klaran), akompaña hosi Diretór Jerál Finansa Estadu Ministériu Finansa (MF), Januario da Gama, (liman loos) no Koordenadora Unidade Planeamentu Monitorizasaun no Avaliasaun (UPMA), Brígida Soares, ko’alia ba jornalista sira iha konferénsia imprensa kona-ba panorama orsamentál 2019 iha MF Aitarak Laran. Imajen Egas Cristovão
Igreza Katolika Presiza Halo Aprosimasaun Politika

Igreza Katolika Presiza Halo Aprosimasaun Politika


DILI - Relasiona ho impase politika neebe maka akontese iha rai laran, igreza no Konvensoins Relizioja sira presiza halo aprosimasaun politika liu husi fasilita dialogu nasional entre lider sira.

Kestaun nee hakuir husi Eis Deputadu husi Bankada PD, Virgilio Hornay ba jornalista sira, iha Palasiu PR Nicolau Lobato, Dili, Tersa (18/09/2018).

“Hau hanoin tenke igreza katolika liu liu konvensoins relizioja sira tenke hola ona parte ida, tanba primeiru situasaun politika ida nee afeita mos ba sosiadade ida nee nia vida, entaun prezensa igreza katolika konvensoins relezioja sira tenke kontribui liu husi saida liu husi aprosimasaun politika oinsa mak bele fasilita hodi bele halo dialogu nasional sira entre lider sira nee, atu nunee hasai sira nia vontade politika liu husi mensazen ba paz no dame para ita nia sosiadade nee bele kaer hanesan modalidade esperansa ba sira,” dehan eis deputadu Virgilio.

Nia hatutan, hanesan jerasaun foun agradese ba povu, liu liu ba sira neebe ke loron kalan halao sira nia vida iha merkadu no tos, sira so preokupa deit mak sira nia vida lor loron, sira lapreokupa ho situasaun politika ida nee.

Iha fatin hanesan Vitor Soares hanesan observador nasional hateten, impase politika neebe mak akontese iha rai laran agora iha situasaun ida mazumenus bele dehan atu besik rejolbe, tanba komunikasaun politika iha nivel altu entre Primeiru Ministru ho Parlamentu Nasional neebe lao diak. 

Notisia kompletu lee iha jornal STL edisaun Kuarta (19092018)
Carme Ximenes | Suara Timor Lorosae

Imajem: Katedral Dili
Governo timorense define combate à pobreza como prioridade do OGE para 2019

Governo timorense define combate à pobreza como prioridade do OGE para 2019


Díli, 18 set (Lusa) -- O chefe do governo timorense, Taur Matan Ruak, definiu hoje como objetivo do orçamento do país o combate à pobreza através da diversificação económica.

Numa nota hoje enviada, Taur Matan Ruak disse que as metas principais do plano para o mandato do Governo nos próximos cinco anos é de reduzir a pobreza em 10%, criar 60 mil novos postos de trabalho e "diversificar a economia", que continua dependente do petróleo.

O Governo timorense conclui hoje uma semana de debate inicial de preparação do Orçamento Geral do Estado para 2019, definindo um teto fiscal que variará entre os 1,1 e os 1,35 mil milhões de dólares, refere o executivo.

Nos próximos dias, o Conselho de Ministros vai agora analisar os três cenários propostos - um de 1,1 mil milhões, outro de cerca de 1,22 mil milhões e o terceiro de 1,35 mil milhões - antes de fixar o teto máximo de gastos para o próximo ano.

A contenção de gastos e o aumento das receitas não petrolíferas, incluindo através da reforma fiscal, são outras das prioridades.

Sara Lobo Brites, ministra das Finanças em exercício, disse que as contas para 2019 "assentam em cinco princípios principais", nomeadamente "a sustentabilidade fiscal, foco nas prioridades nacionais, racionalização de gastos, capacidade de execução e capacidade económica de absorver o orçamento".

As "Jornadas Orçamentais" são, tradicionalmente, o primeiro debate alargado dentro do executivo e com outros responsáveis da administração, institutos e órgãos públicos, na preparação das contas anuais do Estado.

Neste caso, o debate decorreu quando o Estado vive desde 01 de janeiro a duodécimos e o Presidente da República está ainda a analisar o OGE para este ano, que lhe foi enviado no passado dia 10 de setembro.

Nos primeiros três dias do debate sobre as contas de 2019, o encontro contou apenas com a presença dos membros do Governo e na segunda-feira e hoje foi alargado para um seminário público.

Entre os participantes esta semana contaram-se o presidente e comissários da Comissão da Função Pública (CFP), representantes do Banco Central, a coordenadora da Comissão da Reforma Fiscal, diretores gerais e nacionais, representantes de Agências Públicas Autónomas, representantes da Autoridade dos 12 municípios e da Autoridade da Região Administrativa Especial de Oecusse-Ambeno e representantes da sociedade civil.

No encontro debatem-se aspetos como as Prioridades Nacionais para o OGE, métodos e medidas para implementar, "de forma coordenada e adequada" o Plano Estratégico de Desenvolvimento 2011 - 2030, os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, o Programa do VIII Governo Constitucional e os Planos de Ação Anuais.

Nos dois últimos dias das "Jornadas Orçamentais" estiveram em debate questões como o sistema de planeamento e gestão de finanças públicas no âmbito da definição das prioridades nacionais e com base nos "princípios da sustentabilidade fiscal, racionalização de gastos e utilização dos recursos das finanças públicas com qualidade".

"Para determinar as prioridades nacionais e o teto orçamental, de forma racional, eficaz e sustentável, a discussão abordou matérias como planeamento e orçamento, avaliação de desempenho socioeconómico com a análise ao desempenho nas despesas atuais, reforma económica e fiscal, e desempenho do investimento do fundo petrolífero", explica o Governo.

O Ministério das Finanças antecipa que a preparação da proposta de OGE demore entre 60 e 70 antes de ser apresentada ao Parlamento Nacional.

ASP // PJA
Parlamento timorense chumba pela segunda vez viagem do PR ao estrangeiro

Parlamento timorense chumba pela segunda vez viagem do PR ao estrangeiro


Díli, 18 set (Lusa) - O Parlamento Nacional timorense chumbou hoje, com os votos favoráveis das bancadas do Governo, um pedido de autorização do Presidente da República para visitar Nova Iorque e participar na Assembleia-Geral da ONU, no final deste mês.

Ao justificar o chumbo, as bancadas do Governo consideraram que a visita não é oportuna quando o Presidente da República, Francisco Guterres Lu-Olo, ainda não promulgou o Orçamento Geral do Estado (OGE) para 2018.

Continua igualmente o impasse em torno da nomeação de alguns membros do Governo que o primeiro-ministro indigitou e a quem o chefe de Estado não deu posse.

Lu-Olo tinha sido convidado pelo secretário-geral da ONU, António Guterres, a participar na 73ª sessão da Assembleia Geral das Nações Unidas, que decorre este mês.

Carmelita Moniz, deputada da bancada do Congresso Nacional da Reconstrução Timorense (CNRT), o maior partido da Aliança de Mudança para o Progresso (AMP), a coligação do Governo, reconheceu que apesar de importante a visita não é oportuna.

"Esta é uma visita importante, mas para se realizar é preciso orçamento e o Presidente da República ainda não promulgou o Orçamento, então não há dinheiro para a viagem", disse.
Angelina Sarmento, do Partido Libertação Popular (PLP), também referiu o mesmo argumento, sustentando que os cofres públicos estão novamente sem dinheiro para financiar a máquina do Estado, este ano.

O chumbo, na sessão plenária de hoje, surge três dias depois de a Lusa ter noticiado que Francisco Guterres Lu-Olo tinha decidido cancelar a sua visita a Nova Iorque, enquanto continuava a analisar o Orçamento Geral do Estado para 2018.

Oficialmente, porém, a Presidência não notificou o Parlamento Nacional da decisão, pelo que o assunto foi debatido e votado na sessão plenária de hoje, menos de 24 horas depois de o próprio chefe de Estado ter participado na sessão solene da abertura da 5.ª legislatura no parlamento.

Aprovado este mês com cariz de urgência, o OGE para este ano está ainda a ser analisado pelo chefe de Estado, que deverá nos próximos dias decidir se promulga ou não o documento, essencial para financiar a máquina do Estado, que está novamente sem fundos.

Timor-Leste tem estado em regime de duodécimos desde 01 de janeiro e os cofres do Estado estão praticamente vazios, com dívidas acumuladas e o risco de falta de financiamento para o pagamento de todas as contas em setembro.

Lu-Olo pode solicitar a fiscalização da constitucionalidade do documento ao Tribunal de Recurso, exercer o poder de veto político ou promulgar o documento.

A viagem de Lu-Olo a Nova Iorque, como outras do seu calendário de deslocações previsto para este ano, está inscrita no OGE para 2018 e sem as contas aprovadas estas e outras despesas não se podem realizar.

Recorde-se que já em julho o parlamento tinha chumbado um pedido de autorização do Presidente a Portugal, na altura por causa do impasse na nomeação de nove membros do Governo, alguns por terem processos na justiça e outros por possuírem "um perfil ético controverso".

A situação mantém-se, não havendo ainda solução para o impasse, com a Presidência e o Governo a declararem que o diálogo continua. O executivo cedeu já em três dos nove, apresentando alternativas já aceites por Lu-Olo, mas continua a não haver solução para os seis que incluem os ministros das Finanças, Saúde e Interior, entre outros.

O Governo está já, entretanto, a começar a preparar o Orçamento para 2019, que espera levar ao Parlamento em outubro.

O Presidente da República tem ainda previsto para este ano várias visitas ao estrangeiro, a próxima das quais é uma visita de Estado à Austrália agendada para outubro.

ASP // VM

terça-feira, 18 de setembro de 2018

BNCTL sei Muda Sistema Pagamentu Idozu

BNCTL sei Muda Sistema Pagamentu Idozu

DILI: Hafoin burokrasia pagamentu ba idozu sira halo ema ida mate, Banku Nasionál Komérsiu Timor-Leste (BNCTL) hanoin atu muda fali sistema pagamentu ba ferikkatuas sira.

Tuir Planu, BNCTL sei koordena ho autoridade lokál suku hodi rekolla dadus idozu no inválidu sira ne’ebé kondisaun grave hodi bele halo pagamentu direta ida-idak nia fatin atu bele evita asidente.

Konselleiru Diretór BNCTL, sira sempre iha liña koordenasaun ho Ministériu Solidariedade Sosiál (MSS) ho Autoridade lokál, nune'e prontu halo pagamentu movel ba ferik ho katuas sira ne’ebé iha kondisaun grave.

"Ami prontu ba selu ba inan-aman sira ne'ebé kondisaun ladún di'ak iha sira nia uma, tanba ami iha banku movel. Maibé, ami tenke iha informasaun klaru husi xefe suku sira tanba ami laiha dadus", dehan nia, iha Palasiu Governu, Sesta (14/9).

Nia hatutan, BNCTL simu lista halo pagamentu de'it, kona-ba ferik ho katuas sira ne'ebé kondisaun grave BNCTL hakarak liña komunikasaun di'ak ho MSS ho xefe suku hodi aselera pagamentu movel ba idozu sira kondisaun grave.

Públiku barak preokupa ho sistema pagamentu ba inan-aman sira la’o la di'ak, rezulta katuas ida hakotu iis iha Munisípiu Kovalima, nune'e iha fatin seluk sempre mosu fallansu iha atendimentu ba pagamentu.

Tuir sira, BNCTL sempre hasoru difikuldade bainhira atendimentu ba pagamentu idozu sira, tanba loron ida atendimentu ba ema rihun ida, hanesan banku Estadu prontu simu krítiku.

Artur da Luz | Independente
Joven ida Mate Hafoin Salva Labarik Feto husi Violasaun Seksual

Joven ida Mate Hafoin Salva Labarik Feto husi Violasaun Seksual


DILI: Joven ida ho idade tinan 17 mate hafoin hetan sona husi ema dezkoñesidu iha Hera, Munisipiu Dili, Domingu (16/09) madrugada.

Tuir informasaun joven ne’ebé identifika ho naran Carlos da Costa ne’e hetan sona iha kabun hafoin koko salva labarik feto ida ho idade tinan 12 ho inisial BMPT husi violasaun seksual.

Iha Domingu maizumenus tuku 03:00 madrugada, Carlos ne’ebé foin fila husi festa kazamentu ida haree mane ida halo agresaun fiziku hasoru labarik feto no koko atu halo violasaun seksual hasoru labarik ne’e.

La hanoin barak, Carlos halai ba hodi koko atu salva labarik feto ne’e, maibé mane dezkoñesidu losu tudik husi nia kanotak no sona Carlos nia kabun.

Hafoin hetan sona Carlos kaer nia kabun hodi tahan raan ne’ebé sulin. Vitima BMPT hakilar maka’as liu tan hodi bolu ema atu mai ajuda.

“Ha’u hakilar atu komunidade bele mai ajuda. Maibé ema to’o mai Carlos husik iis tiha ona,” dehan vitima BMPT ne’ebé hasaran husi polisia.

Vitima BMPT daudauk ne’e hala’o hela tratamentu iha ospital nasionál Guido Valadares hodi observa ninia kondisaun saúde.

Komandante Daruak Polisia Nasionál Timor Leste (PNTL) Munisipiu Dili, Susperintendente Asistente Euclidis Belo informa, hafoin sona vitima suspeitu halai husi fatin akontesimentu.

Nia hatutan, daudauk ne’e Servisu Investigasaun Kriminal PNTL Dili seidauk bele rekola informasaun detallu kona-ba suspeitu. Maibé Komando garante katak tempu badak sei kaptura.

“Agora dadaun ita seidauk identifika suspeitu tanba ita presiza informasaun husi alin-feto ne’ebé sai vitima. Nia sei halo hela tratamentu (iha ospital), kuandu parte ospital garante ona ninia kondisaun, ita sei rekola informasaun husi nia,” dehan Euclidis.

Daudauk ne’e mate isin iha hela mortuariu ospital nasionál no PNTL Dili hato’o ona pedidiu ba Ministériu Públiku (MP) hodi husu autorizasaun atu hetan lisensa ba autopsia.

Tomé Amado | Independente