domingo, 17 de junho de 2018

Dirigente partidário diz que ativista nunca esteve nas listas para Governo de Timor

Dirigente partidário diz que ativista nunca esteve nas listas para Governo de Timor


Díli, 16 jun (Lusa) - Um dirigente do Partido Libertação Popular (PLP), um dos três que integra a coligação AMP que venceu as legislativas timorenses com maioria absoluta, garantiu hoje que a ativista Bella Galhos "nunca foi seriamente considerada" para o próximo Governo.

"Para ser honesto, Bella Galhos nunca foi seriamente considerada para ser incluída no elenco do próximo Governo", disse à Lusa um alto dirigente do PLP que pediu o anonimato.

"Estou envolvido no processo de seleção dentro do PLP. Sei, com toda a certeza, que ela nunca foi uma forte candidata para qualquer cargo", sublinhou.

Os comentários surgem depois de Bella Galhos, uma das mais respeitadas ativistas timorenses, ter afirmado à Lusa que o seu nome foi retirado do elenco ainda desconhecido do próximo Governo de Timor-Leste, por questões "morais" relacionadas com a sua orientação sexual.

"Esta é a informação interna que me comunicaram, dentro do partido. O que me disseram é que, por ser LGBT, moralmente isso não é aceitável", afirmou.

Bella Galhos é militante do Partido Libertação Popular (PLP), liderado por Taur Matan Ruak, o ex-Presidente da República, e que integra a Aliança de Mudança para o Progresso (AMP), a coligação que venceu as eleições de 12 de maio com maioria absoluta.

Os dirigentes máximos da AMP - Xanana Gusmão, presidente do Congresso Nacional da Reconstrução Timorense (CNRT), Taur Matan Ruak e José Naimori (líder do Kmanek Haburas Unidade Nacional Timor Oan (KHUNTO) - estão a fechar a composição do Governo.

"Não digo que esta posição foi de Taur, mas fico desiludida que ele não tenha conseguido combater esta posição", afirmou Galhos.

O dirigente do PLP ouvido pela Lusa lamenta que o partido esteja a ser "injustamente acusado de a discriminar no processo de seleção", insistindo que a sua força política "apenas avalia as pessoas pelo seu trabalho ou contributo e por nada mais, muito menos a orientação sexual".

A mesma fonte confirmou que Galhos "tem estado muito ativa no PLP" mas que "muitas outras mulheres estiveram mais ativas que ela desde 2015 e até à campanha".

Galhos, por seu lado, disse ficar "bastante desiludida" com o facto da questão moral ser levantada dentro do seu próprio partido, afirmando que se sente traída por ter convencido jovens e outros membros da comunidade LGBT a apoiar o PLP.

"É um grande desapontamento. Eu nunca quis fazer parte de partidos políticos. O PLP atraiu-me porque era uma alternativa e eu dei o meu contributo, incluindo financeiramente. Ajudei na campanha e a apelar a jovens e jovens LGBT para nos apoiar", disse.

"A esses jovens dei-lhes esperança que com o PLP as coisas iam mudar mas parece que afinal não é assim. Sinto-me discriminada", afirmou.

Já no sábado um dos principais dirigentes do PLP, Fidelis Magalhães, insistiu que Bella Galhos é "uma pessoa valiosa para o partido" com uma "obra e um contributo comunitário bem reconhecidos".

Explicando não poder comentar o caso ou a formação do Governo, cujas decisões "estão a ser tomadas pelos líderes máximos dos partidos", Magalhães rejeitou que a questão da orientação sexual possa ter sido um motivo.

"A Bella é uma pessoa inteligente, pessoa respeitada e com um valioso contributo. Nos processos deste tipo há muitos outros candidatos e eu nem sequer posso comentar o processo porque não sei sequer se está ou não no Governo", disse.

"Quando se considera os candidatos a qualquer lugar politico há muitas considerações e há muitos candidatos. A Bella é sempre respeitada pelo próprio Taur e foi convidada como conselheira para assuntos sociais durante anos na sua Presidência", afirmou.

Galhos, 46 anos, é uma das mais conhecidas líderes da sociedade civil timorense, com um passado de violência que começou dentro da família, às mãos do pai, que teve 18 mulheres e 45 filhos e que aos três anos a vendeu por cinco dólares a um soldado indonésio.

Entre 2012 e 2017 foi conselheira do então Presidente da República Taur Matan Ruak, período durante o qual construiu e geriu a primeira 'Escola Verde' do país, em Leublora, a sul de Díli, onde funciona hoje uma quinta e restaurante de comida orgânica e uma cooperativa de mulheres.

Atualmente gere a Pousada de Maubisse, no centro do país.

ASP // ACG
'Barcos Dragão" reforçam integração de portugueses em Macau

'Barcos Dragão" reforçam integração de portugueses em Macau


Macau, China, 16 jun (Lusa) - Uma equipa feminina do Instituto Português do Oriente (IPOR) estreou-se hoje nas corridas "Barcos Dragão", em Macau, como forma de reforçar a integração na comunidade daquele território administrado pelos chineses, explicou à Lusa uma das participantes.

"Eu acho que uma equipa totalmente portuguesa de uma instituição portuguesa poder participar num campeonato destes, que é uma coisa local da China, de Macau. Traz uma grande energia e uma grande mensagem para os chineses em geral e para Macau: quer dizer que nós nos integramos, nós fazemos parte da comunidade", disse a vogal da direção do IPOR Patrícia Ribeiro.

Para Patrícia Ribeiro, viver este tipo de competições fortalece os laços entre a comunidade portuguesa e a chinesa.

"Participar nestas competições serve exatamente para demonstrar que também fazemos parte deles. Somos bem recebidos aqui em Macau", considerou a funcionária do instituto, que tem como uma das principais missões difundir a língua e a cultura portuguesas no Oriente.

A exemplo dos últimos anos, o Instituto Português do Oriente voltou a abrir as portas para que a comunidade possa acompanhar os jogos da seleção portuguesa no Mundial2018 de futebol.

Apesar da dificuldade do fuso horário (em Macau o fuso é de mais sete horas do que em Lisboa), a grande maioria das colegas da embarcação assistiu ao embate contra a Espanha, em que Cristiano Ronaldo marcou os três golos do empate de Portugal com a Espanha (3-3).

"A nossa inspiração [...], a nossa musa inspiradora é o Cristiano Ronaldo, porque ele tem uma força e uma energia que nos transmitiu agora nesta prova", confessou, sorridente, Patrícia Ribeiro.

O IPOR foi a única equipa portuguesa a participar neste evento, mas dentro de algumas equipas de Macau há também portugueses que se juntam à população local.

Foi o caso de Rodrigo de Matos, residente em Macau há oito anos -- este ano teve "um clique" e decidiu participar naquela que considera ser "uma grande festa".

"Este ano comecei a trabalhei no Instituto para os Assuntos Cívicos e Municipais de Macau (IACM), que é uma espécie de câmara municipal aqui de Macau, e soube que eles tinham uma equipa de 'Barcos Dragão' e a precisar de novos atletas para fazer uma reciclagem, de maneira que vim experimentar e gostei", contou Rodrigo de Matos, antes do início da sua prova.

"Isto é um evento com uma certa tradição. Será para este território comparável às corridas de remo, em Inglaterra, nos célebres duelos entre Oxford e Cambridge. A diferença é que estas são umas regatas internacionais", explicou o funcionário do IACM.

Durante o dia de hoje e até domingo realizam-se as regatas locais de pequenas e grandes embarcações para entidades públicas de Macau, universitárias e dos trabalhadores da função pública, num total de 140 equipas.

Já as grandes provas internacionais vão ter lugar na segunda-feira, com a participação de equipas estrangeiras a competirem na Regata Internacional de Barcos Dragão de Macau para Grandes Embarcações, na categoria Open e na categoria feminina.

"O número de equipas que participam são cerca de 160", disse à Lusa a secretária-geral da comissão organizadora dos "Barcos Dragão".

Inicialmente estas provas eram planeadas de forma voluntária por organizações não-governamentais, mas desde 1979 esta atividade passou a ser promovida de forma anual, incluindo uma regata internacional de barcos dragão, em que equipas de diferentes países têm sido convidadas a participar.

Desde o estabelecimento da Região Administrativa Especial de Macau que a Regata Internacional de Barcos Dragão de Macau é organizada em conjunto pelo Instituto do Desporto e pela Associação de Barcos Dragão de Macau, China.

A festividade tem origem numa lenda sobre um alto e leal funcionário do reino de Chu, de nome Qu Yuan, que se terá lançado ao rio pondo termo à sua vida, após ter visto o rei recusar as suas propostas por causa de intrigas.

Caindo em desgraça perante o soberano, Qu Yuan partiu para o exílio, altura em que compôs vários poemas a expressar a sua revolta por não poder continuar a servir o seu país, e mais tarde decidiu suicidar-se.

Dada a estima que nutriam pelo patriótico e justo "poeta", os habitantes locais remaram nos seus barcos de madeira para a zona, fazendo com que os barcos dragão simbolizem a busca pelo salvamento de Qu Yuan.

MIM // ROC

sábado, 16 de junho de 2018

UNTL Koopera ho Universidade Portugeza Sei Loke Kursu Foun Iha 2019

UNTL Koopera ho Universidade Portugeza Sei Loke Kursu Foun Iha 2019


DILI, (TATOLI) – Universidade Nasionál Timor Lorosa’e (UNTL) liuhusi nia kooperasaun ho universidade portugeza sira iha 2019 sei loke kursu foun ne’ebé konsellu jerál aprova ona nia dosier iha área mestradu iha portugés tuir kontestu Timor-Leste,  mestradu iha matemátika ba profesór sira nomós lisensiatura formasaun profesór pré-eskolár ne’ebé sei harii iha Fakuldade Edukasaun, Arte no Umanidade.

Reitór UNTL, Francisco Miguel Martins, hatete kolaborasaun ida ne’e sei halo hamutuk ho Universidade Portu, Universidade do Minho, Évora, Aveiro iha Portugál nomós integradu ho profesór lokál sira para iha integrasaun dezenvolvimentu institusionál no departamentu.

“Ida mós iha área balun ne’ebé ita atu institusionaliza iha tinan oin mai kursu foun iha área mestradu iha direito do mar e segurança marítima, mas seidauk aprezenta dosier sira ne’e entaun ita rezerva hela, kuandu iha eventu formál ona ita bele implementa iha ita-nia anu akadémiku mai. Daudaun ne’e Universidade do Portu no Coimbra konstroe hela dosier  mestrado em direito do mar e segurança marítima”, Martins hatete ohin, iha Sentru Konvensaun Dili hafoin graduasaun UNTL ba da-XIX.

Nia hatutan ida ne’e importante tanba Timor-Leste hanesan illa, tasi maka hale’u no seguransa tasi nian tenke halo maski iha ona lisensiatura iha fakuldade agrikultura, departamentu peska no siénsia mariña tanba haree katak rikusoin tasi-laran ne’e boot liu karik iha terrestre.

“Tanba ne’e mak ita loke área foun sira ne’e tuir ita-nia nesesidade reál país nian atu eleva kualidade no bele mós ita sustenta ita-nia an ho ita-nia situasaun reál ne’e”.

Aleinde ne’e sei loke mós lisensiatura iha istória no jeografia Timor-Leste iha fakuldade filozofia no siénsia umana.

“Longu prazu tinan oin mai tan ita atu loke tan medisina dentária, maibé ida ne’e sei programa hela bainhira mak ita atu implementa, haree lai kondisaun favoravel tanba medisina dentária kustu ne’e la’ós uitoan. Entaun fazeadamente ita dezenvolve tuir nesesidade pais nian atu fó formasaun ema iha área ida ne’e atu serbí ba ita-nia komunidade no país”.

Jornalista: Maria Auxiliadora | Editora: Rita Almeida

Imajen: Reitór Universidade Nasionál Timor Lorosa’e (UNTL), Francisco Miguel Martins. Foto/ Mídia Komunikasaun UNTL.
Ativista timoroan hatete katak la halo parte hosi Governu foun tanba nia orientasaun seksual

Ativista timoroan hatete katak la halo parte hosi Governu foun tanba nia orientasaun seksual


Ativista timoroan Bella Galhos hatete, iha loron-sesta ne'e, ba Lusa katak nia naran hasai tiha hosi elenku hosi lista ne'ebé seidauk koñesidu ba Governu foun Timor-Leste nian tanba kestaun "moral sira" relasionadu ho nia orientasaun seksual.

"Ne'e hanesan informasaun interna ne'ebé maka sira hato'o mai ha'u, iha partidu nia laran. Saida maka sira hatete mai ha'u katak tanba hanesan LGBT, tuir moral ne'e labele aseita", nia afirma.

Bella Galhos hanesan militante hosi Partidu Libertasaun Popular (PLP), lidera hosi eis-Prezidente Repúblika Taur Matan Ruak no ne'ebé halo parte iha Aliansa Mudansa ba Progresu (AMP), koligasaun ne'ebé manán eleisaun iha loron 12 Maiu ho maioria absoluta.

Dirijente máximu sira hosi AMP - Xanana Gusmão, prezidente hosi ongresso Nacional da Reconstrução Timorense (CNRT), Taur Matan Ruak ho José Naimori (líder do Kmanek Haburas Unidade Nacional Timor Oan (KHUNTO) - besik hakotu ona kompozisaun ba Governu.

"Ha'u la'ós hatete katak ne'e hanesan pozisaun hosi "irmaun" Taur maibé ha'u senti triste tanba nia la konsege kombate pozisaun ne'e", afirma hosi Galhos.

Galhos esplika ona ba Lusa katak, iha konversa dahuluk sira iha PLP nia laran, refere ona área tolu ne'ebé maka nia bele serbisu.

"Ko'alia iha Turizmu, iha Juventude ho Desportu no iha Sekretaria Estadu ba Polítika hosi Formasaun Profisional no Empregu (SEPFOPE). Hafoin ne'e, iha faze daruak, ko'alia iha Igualdade Jéneru nian", nia afirma.

"Maibé hafoin ne'e ha'u nia naran hasai tiha tanba razaun moral sira, tanba ha'u nia orientasaun seksual", nia hatete.

"Ne'e akontese tanba ha'u hanesan feto, maibé liuliu tanba ha'u halo parte iha komunidade LGBT", nia esplika ho admiti katak bele iha presaun, iha nia kazu, hosi relijiozu sira iha Timor-Leste.

Galhos hatete katak senti "triste tebes" tanba kestaun moral foti iha nia partidu rasik nia laran, hodi afirma katak senti traidu tanba konvense joven sira ho membru sira seluk hosi komunidade LGBT hodi apoia PLP.

"Hanesan deziluzaun boot ida. Ha'u nunka hakarak halo parte hosi partidu polítiku sira. PLP dada ha'u tanba hanesan alternativu ida no ha'u fó ona ha'u nia kontributu, inklui hosi dalan finanseiru. Ha'u ajuda ona iha kampaña no apela ba joven sira no joven sira LGBT hodi apoia ami", nia hatete.

"Ba joven sira ne'e ha'u fó ona esperansa ba sira katak ho PLP buat hotu sei muda maibé afinal la'ós hanesan ne'e. Ha'u senti diskriminadu", nia afirma.

Fidelis Magalhães, dirijente prinsipal ida hosi PLP, bainhira insisti hodi halo komentáriu ba kazu, hatete katak la hatene kontornu hosi situasaun, hodi insisti katak Bella Galhos hanesan "ema importante ida ba partidu" ho "obra ho kontributu komunitáriu ida ne'ebé hetan rekoñesimentu di'ak".

Esplika katak labele halo komentáriu ba kazu ka ba formasaun Governu nian, ne'ebé nia desizaun sira "sei foti hosi líder máximu sira hosi partidu sira", Magalhães rejeita ona katak kestaun hosi orientasaun seksual bele hanesan motivu ida.

"Bella hanesan ema matenek ida, ema ne'ebé respeitadu no ho kontributu valiozu. Iha prosesu sira hanesan ne'e iha kandidatu barak no ha'u labele komenta prosesu tanba ha'u la hatene mós katak sei halo parte ka la'e iha Governu", nia hatete.

Galhos, ho tinan 46, hanesan líder ida ne'ebé koñesidu hosi sosiedade sivil timoroan, ho pasadu ne'ebé nakonu ho viokénsia ne'ebé hahú iha família nia laran, hosi nia aman nia liman, ne'ebé iha feen na'in 18 no oan na'in 45 no ne'ebé ho tinan tolu fa'an nia ho dolár lima ba soldadu indonéziu ida.

Iha momentu ne'ebá, argumentu maka katak Galhos iha "personalidade ida ne'ebé maskulinu tebes, dominante". Hafoin husu beibeik hosi nia inan, ikusmai nia fila ba uma.

Ho tinan 16, sai nu'udar elementu ativu hosi rezisténsia, sai nu'udar ajente duplu iha forsa armada indonéziu nia laran - ne'ebé durante tinan tolu nia laran nakonu ho violénsia fízika ho seksual maka'as - no hafoin ne'e konsege ona, ikusmai, hetan azilu polítiku iha Kanadá.

Iha tinan 1999, hafoin referendu ne'ebé maka ema timoroan sira hili independénsia, nia fila ba Timor-Leste, serbisu ona iha ONU, kompleta ona kursu ida psikolojia nian no okupa ona knaar oioin iha organizasaun sira sosiedade sivil nian.

Entre tinan 2012 no 2017, sai ona nu'udar konselleira hosi Prezidente Repúblika, iha momentu ne'ebá, Taur Matan Ruak, períudu ne'ebé harii ona no kere ona "Eskola Verde" dahuluk iha nasaun, iha Leublora, hosi súl Díli nian, ne'ebé ohin loron funsiona kintal ida no restaurante ida ho hahán orgániku no koperativu ida feto sira nian.

Agora daudaun jere Pouzada Maubisse nian, iha sentru nasaun nian.

SAPO TL ho Lusa
Dezenvolve Agrikultor/ Agrikultura Timor-Leste hodi sai husi prinsipiu Safety first ba Market Orientation

Dezenvolve Agrikultor/ Agrikultura Timor-Leste hodi sai husi prinsipiu Safety first ba Market Orientation


“Maneira Elimina Agrikultor nia Pensamentu Husi Risk Minimization ba Profit Maximization”

Husi  Quintiliano Afonso Belo | opiniaun

Dezenvolvimentu setór agrikultura iha Timor-Leste realmente lao bei-beik maibe neneik. Ne’e akontese tanba iha prosesu elaborasaun planeamentu la hare problemas baziku rua importante maka hanesan; Premeiru, mayoria agrikultor ne’ebe eziste iha Timor-Leste hanaran Peasant laos Farmer. Hanesan sosiologo ida naran James Scott,1985 hateten;

Peasant signifika katak, agrikultor  sira ne’ebe uza hela prinsípiu risk minimization no safety first (kapasidade produsaun kiik, subsistensia, la iha rai ne’ebé luan, la iha orientasaun ba merkadu no  produs la’os buka rendimentu ekonómiku). Simplesmente dehan, kuda para bele han iha aban.

Farmer Siginifika katak, agrikultor sira ne’ebe utiliza prinsípiu profit maximization no market orientation (kapasidade produsaun bo’ot, modernu, iha rai ne’ebé luan no produz ho orientasaun merkadu hodi hetan rendimentu ekonómiku). Simplesmente ‘kuda ohin para hetan lukru’

Segundu, vontade politika atu dezenvolve dezenvolvimentu agrikultura integradu ladauk maximu tamba dezenvolvimentu seitor agrikultura dominadu ho ego setóral no la partisipativu. Laiha ajustamentu bazeadu ba limitasaun sira hanesan; menuz infrastrutura bazika agrikolas, agrikultor laiha asesu ne’ebe diak ba sistema kreditu iha banku, menus asesu ba teknolojia liu-liu mekanika moderna hodi hasae produsaun agrikolas, kuantidade produsaun la stavel tanba laiha posibilidade atu utiliza rai abandonadu ne’ebe partensia ba governu no korenti agronegosiu agrikultura mate tanba Timor-Leste obsekadu ho neoliberalizmu merkadu, nune’e bainhira implementa politika dezenvolvimentu setór agrikulas la bazea ba metas no visaun ne’ebe definidu iha PEDN.

Hare ba problema baziku rua iha leten, hakarak ka lakoi involvimentu direta agrikultór iha dezenvolvimentu seitor agrikultura  importante tebes. Dezenvolvimentu tenki bazia ba ba  needs, resources, skills no  management iha prosesu tomak dezenvolvimentu seitor agrikultura. Hanesan argumentu balun hateten prosesu transformasaun setór agrikultura ne’ebé ita hotu mehi tuir visaun PEDN 2030 sei labele akontense kuandu agrikultor sai fali objeitu no la partisipativu.  Pior liu tan kolonializmu foun hanesan era globalizasaun, liberalizasaun, no privatizasaun invade maka’as  ita  nia rain Timor-Leste.

Ne’e akontense tamba vontade politika atu halo mudansa iha seitor ne’e laduak seriu no politiku sira interese liu ba naran boot duke resultadu servisu. Alende ida ne’e odomatan portu nian ne’ebe nakloke demaziadu ba importador sira husi rai seluk liu-liu produtus agrikulas sira, ate pescador sira mos konsumu fali ikan zeladu ne’ebe mai husi singapora.  La iha seriedade hodi hamenus importasaun produsaun agrikulas husi rai liur maske hatene hela katak, produtu refere agrikultor husi Maubessi, Bobonaro no Manatutu, Baucau, Ermera mos bele produz, la interese atu expire ka la expire no la interese produtu refere sortir ka la sortir. (Exp, fos ne’ebe tama mai Timor-Leste fos klasse terseiru katak fahi mos bele konsume, no hanasen mos Ayam Potong kualidade att liu tuir Brazil nia standarte.

Atu fo resposta ba lalaok sira iha leten nia dalan simples no fasil tebes, naran katak, hahu agora! politiku sira  iha pesanmentu ida deit hanesan; premeiru eradika, top down development approach. Para ona utiliza agrikultor nudar objeitu tanba iha tinan hirak ikus ne’e desemovlimentu iha Timor Leste, hatudu momos katak, resultadu ekonomikamente diak tebes maibe, sosialmente laiha mudansa ne’ebe signifikativu. Pior liu tan grafiku dezenvolvimentu setór agrikultura iha tendensia tun ba beik-beik, kuandu hare husi resultadu produsaun no area koilheta iha kada tinan, att liu tan are are irigadu kuase 32000 ha ladauk utiliza ho mazimu menus husi metade. 

Sengundu, Minimiza neoliberalizmu ba merkadu. Prontu minimiza neoliberalismu ba merkadu hodi fo oportunidade ba agrikultor sira atu haforza-an liu husi dalan promove subsetór agronegosiu integradu liu husi habelar asesu sira ba kreditu, subsidiu mekanika agrikula bazea ba prinsipius competiveness, grass root economic no sustainability nune’e lalais ka kleur agrikultor sira bele sai husi safety first ba market orientation, hanesan tuir mai ne’e:

Premeiru, Dezenvolve Up-stream agribusiness hanesan; industrializasaun ba kriasaun kapital agrikultura nian, industrializasaun fini no viveirus, industrializasaun animal, industrializasaun ikan, industrializasaun agrokimia (adubus, aimoruk, vasinasaun animal no hakiak ikan), no industrializasaun equipamentu agrikula (agro-automotive) liu husi public private partnership (PPP).

Segundu, Dezenvolve On-farm agribusiness katak kriasaun atividades kulturas komuditi agrikula primadona hanesan negosiu produsaun alimentar, hortikultura, aihoris ba aimoruk sira, plantas industriais, pecuaria, pescas no rekursus florestais.

Terseiru, Dezenvolve Down stream agribusiness katak kriasaun aihan fresku animal nian no kriasaun ransu animal nian lokalmente, no produsaun bio-enerjetika hodi sai hanesan enerjia alternative ba agrikultor iha area rural.

Kuartu, Dezenvolve Services for agribusiness katak kriasaun koperativa kreditu, transporte no armazenamentu, sentru prosesamentu sira, moderniza sentru tratores ezistenti, revitalizasaun centru pesquisa no establesementu estatistika informasaun geografica  agrikultura  hodi garante planu e politika desemvolvimetu setór agrikultura nasional bazeandu ba rekomendasaun no resultadu pesquisa no dadus rekolhadu.

Atu suporta sistema agronegosiu integradu tuir esplikasaun iha leten, esperiensia sira tuir mai nudar referensia diak ba Timor-Leste atu banati tuir bazea ba estudu ne’ebe halo husi Prowse no Chimhowu (2007) ho nia titlu “Making Agriculture Work for The Poor” iha pilar tolu ne’ebe importatnte ba strategia dezenvolvimentu setór Agrikultura nian hanesan:

Habelar no hadiak dezemvolve infrastrutura hodi suporta ekonomia lokal. Infrastrutura bazika nudar fator savi ba agrikultor sira ne’ebe hela iha area rural. Iha Vietnam, numeru mukit tun maka’as depois tiha sira halo investimentu infrastrura ba irigasaun no estrada rural kuase pursentu 60 husi orsamentu de estadu ne’ebe alokadu ba setór agrikultura iha dekade 1990 nia laran. Lalaok ne’ebe hanesan halo mos iha india, nune’e mos iha etopia ne’ebe konsege infrenta situasaun krizi aihan iha mediu dekade 1980, sira haka’as hadia no konstrui estrada rural sira no aumenta asesu ba merkadu nune’e agrikultor sira rasik hi’it rasik hodi hadia sira nia moris. Timor-Leste konsege ona buat balun, hanesan eletrisidade, be mos, estrada rural, no irigasaun skala kiik sira maske ladauk maximu no sei dauk kobre teritoriu tomak.

Habelar no hadiak asesu ba edukasaun. Papel edukasaun nian iha relasaun mutua ho 1)Hasae produsaun agrikula, kapasita Timor oan hodi asesu ba eskola vokasional 2)Kria opsaun invenstimentu seitor pribadu no diversifika atividade agronegosiu no 3)Minimiza numeru migrasaun husi rural ba urbana. Kasu Timor-Leste, ministeriu edukasaun esforzu maka’as los maibe, iha realidade hatudu momos katak modelu edukasaun Timor-Leste nian domina ho ensino jeral no ikus mai produz rekursu sira la ho badaen ne’ebe sufisienti, nune’e kria fali numeru migrasaun no numeru dezempregu ou piada karik husik foho mai Dili tanba moe atu halo servisu nudar agrikultor.

Habelar no hadiak asesu ba redi informasaun. Kriasaun redi informasaun sufisiente no bebeik nudar fonte prinsipais ba dezenvolve kuñesementu no badaen agrikultor sira. Informasaun refere tenki unifika no harmoniza ho esistensia kunesementu lokal ka local wisdom. Exemplu informasaun kona ba teknolojia foun ne’ebe iha realsaun ho agrikultura ne’ebe dezaminadu la kontrariu ho local wisdom. Lalaok ne’e implementa ona iha Timor-Leste, maibe politiku sira la iha seriedade atu rekuinese no harmoniza konseitu kona ba importasia redi imformasaun liu husi estensaun. Kestiona fali existenti konseitu estensaun nian hodi estesionista sira mak sai fali vitima. Konseitu husi Australia, Europeia ka Afrika konserteza sei lahanesan ho konseitu ne’ebe Timor-Leste rasik mak dezenvolve.

Nune’e hau rekomenda hodi define lolos agrikultor laos ona objeitu maibe sujeitu ba dezenvolvimentu, minimalizasaun invasaun neoliberalizmu merkadu, eradikasaun pratika top down approach iha implementasau politika dezenvolvimentu agrikultura, promove pratika dezenvolvimentu partisipatoria iha implementasaun politika dezenvolvimentu agrikultura. Aumenta no optimaliza area kultivu agrikultor nian liu husi utulizasaun rai potensial ne’ebe abandonado, kria redi agronegosiu bazea ba potensia suco ida-idak nian, reforza sistema pesquisa no desiminsaun teknologia agrikultura adekuadu iha area rural liu husi revitalizasaun redi estensaun agrikola, promove investimentu public private partnership hodi halo industrializasaun area agro auto-motive no ikus liu promove investimentu seitor pribadu ba setóres agrikultura, pecuaria, pescas no floresta.
MUNDIAL 2018 | Ronaldo 3 – Espanha 3

MUNDIAL 2018 | Ronaldo 3 – Espanha 3


No mundial de futebol que está a ser disputado na Rússia, a equipa de Portugal teve ontem a sua primeira disputa, contra Espanha. O resultado final ficou-se por um empate a três golos. Resultado que a Portugal soube a quase vitória e a Espanha a quase derrota. Paladares diferentes.

Em crónica de Ricardo Oliveira Duarte dá para perceber como os portugueses vibraram e sofreram a ver o jogo a tantos quilómetros de distância, em Lisboa, no Terreiro do Paço. Os “ilustres do reino” (que é o que mais parecem, pelo modo como os distinguem) também se regozijaram e sofreram. O povo é o mesmo de sempre... Porque o futebol é o seu ópio preferido. É isso que aqui trazemos no que segue em baixo, para os que se interessarem.

Importa destacar que o resultado dos três golos portugueses foram obra sábia e milagrosa de Ronaldo, já muitíssimo distante do jovem vaidoso e tantas vezes arrogante que era.  Esclarecendo: Ronaldo 3 – Espanha 3, foi o resultado. (TA)


Quem tem Cristiano Ronaldo tem tudo. Ou quase. Portugal empata com Espanha

Portugal marcou três golos e os três foram de Cristiano Ronaldo. Portugal foi o primeiro e o último a marcar. Marcelo Rebelo de Sousa acredita que "podemos ir até onde não imaginávamos".

De pé. Sentado. De pé. Sentado. Sentado. Aos pulos, de braços no ar, abraçado a Fernando Medina e ao ministro Pedro Marques, sorriso rasgado. A coreografia de Marcelo Rebelo de Sousa, na tribuna da Arena Portugal, no Terreiro do Paço, em Lisboa, é o espelho do andamento de um jogo impróprio para cardíacos, que acabou empatado, e que, acredita o Presidente, pela forma como foi conseguido, pode ser prenúncio de um grande Campeonato do Mundo de Portugal na Rússia.

Tudo começou como uma espécie de conto de fadas. Três minutos de jogo, Cristiano Ronaldo é derrubado por Nacho na grande área, o árbitro marca penálti e o português abre o marcador. Depois veio o "lobo mau" Diego Costa empatar para a Espanha. Mas antes do intervalo Ronaldo rematou de fora da grande área e, com uma preciosa ajuda de De Gea, o guarda-redes espanhol, Portugal saiu para os balneários em vantagem. Estava tudo certo na tal história que tem sempre um final feliz. Mas faltavam 45 minutos...

Portugal veio mais mole do intervalo e a Espanha, qual raposa matreira, lançou a escada e meteu dois golos na baliza de Rui Patrício. Diego Costa igualou Cristiano nos dois golos e, consequentemente, colocou tudo como tinha começado: empatado. Depois Nacho encheu o pé e de fora da área fez desabar o mundo português, que pela primeira vez no jogo se viu em desvantagem.

No caminho que fez, a pé, da Câmara de Lisboa até ao Terreiro do Paço, Marcelo Rebelo de Sousa recebeu de uma senhora que o abordou um terço vermelho, "para dar sorte". Ele, "homem de fé católica, como Fernando Santos, aliás", aceitou e guardou-o na mão direita. Não sendo obra divina, a falta de Piqué que colocou Cristiano Ronaldo com a bola na mão, outra vez, a olhar fixamente para a baliza e a beijá-la, como que a dizer-lhe "agora vais ali para dentro, que há uns milhões de pessoas que precisam voltar a sorrir, está bem?" pareceu caída do céu. Com os pés bem assentes na terra, Ronaldo deu uns passos atrás e largou uma bomba, muito bem colocada, no canto esquerdo da baliza de De Gea.

Estávamos no minuto 88 do jogo e Portugal não mais deixou de estar por cima, guardando a bola durante quase todos os 6/7 minutos que ainda se jogaram.

Quando aquele terceiro golo fez os milhares de pessoas (30 mil?) que estavam no Terreiro do Paço saltarem e gritarem, Marcelo Rebelo de Sousa, Presidente da República de Portugal, foi mais um deles. Abraçou-se a quem estava ao lado, foi a saltar até ao varandim e celebrou com quem estava ali mesmo em baixo. Depois, ao microfone da TSF, comentou que empatar assim é muito, muito importante. "Dar a volta desta forma dá um ânimo muito grande, é muito importante."

TSF – Crónica de Ricardo de Oliveira Duarte | Fotos: EPA
MUNDIAL 2018 | França sofre para vencer Austrália na estreia (2 - 1)

MUNDIAL 2018 | França sofre para vencer Austrália na estreia (2 - 1)


Vice-campeã europeia com Griezmann, Mbappé e Dembelé na frente de ataque, venceu jogo inaugural por 2-1, na Arena de Kazan.

A seleção francesa, com Griezmann, Mbappé e Dembelé na frente de ataque, venceu o por 2-1, o primeiro jogo no Mundial contra a Austrália, na Arena de Kazan.

Os golos da partida foram marcados apenas durante o segundo tempo. Griezmann inaugurou o marcador aos 58 minutos, através de uma grande penalidade assinalada depois do árbitro, Andrés Cunha, ter consultado o videoárbitro.

Quatro minutos depois, num lance caricato de Umtiti, que meteu a mão à bola em plena grande área, o juíz do Uruguai não teve dúvidas ao apontar para a marca dos 11 metros. Penálti da Australia convertido por Mile Jedinak, que empatava a partida. A França teve muitas dificuldades para ultrapassar uma Austrália lutadora.

O golo da vitória da equipa vice-campeã europeia chegou a 10 minutos do fim, com Pogba a ser feliz num golo que ainda ressaltou na defesa contrária e ultrapassou na totalidade a linha da baliza.

Com este resultado, a França ascendeu ao primeiro lugar do Grupo C, que integra também a Dinamarca e o Peru.

TSF
Ativista timorense diz que foi excluída do próximo Governo pela sua orientação sexual

Ativista timorense diz que foi excluída do próximo Governo pela sua orientação sexual


Díli, 15 jun (Lusa) - A ativistas timorenses Bella Galhos disse hoje à Lusa que o seu nome foi retirado do elenco ainda desconhecido do próximo Governo de Timor-Leste por questões "morais" relacionadas com a sua orientação sexual.

"Esta é a informação interna que me comunicaram, dentro do partido. O que me disseram é que por ser LGBT, moralmente isso não é aceitável", afirmou.

Bella Galhos é militante do Partido Libertação Popular (PLP), liderado pelo ex-Presidente da República Taur Matan Ruak e que integra a Aliança de Mudança para o Progresso (AMP), a coligação que venceu as eleições de 12 de maio com maioria absoluta.

Os dirigentes máximos da AMP - Xanana Gusmão, presidente do Congresso Nacional da Reconstrução Timorense (CNRT), Taur Matan Ruak e José Naimori (líder do Kmanek Haburas Unidade Nacional Timor Oan (KHUNTO) - estão a fechar a composição do Governo.

"Não digo que esta posição foi do 'irmão' Taur, mas fico desiludida que ele não tenha conseguido combater esta posição", afirmou Galhos.

Galhos explicou à Lusa que, nas conversas iniciais dentro do PLP foram referidas três áreas em que poderia vir a trabalhar.

"Falou-se em Turismo, na Juventude e Desporto e na Secretaria de Estado para a Política de Formação Profissional e Emprego (SEPFOPE). Depois, numa segunda fase, falou-se em Igualdade de Género", afirmou.

"Mas depois o meu nome foi afastado por razões morais, por causa da minha orientação sexual", disse.

"Isto acontece porque eu sou mulher, mas especialmente porque faço parte da comunidade LGBT", explicou, admitindo que pode ter havido pressão, no seu caso, de religiosos em Timor-Leste.

Galhos diz ficar "bastante desiludida" com o facto de a questão moral ser levantada dentro do seu próprio partido, afirmando que se sente traída por ter convencido jovens e outros membros da comunidade LGBT a apoiar o PLP.

"É um grande desapontamento. Eu nunca quis fazer parte de partidos políticos. O PLP atraiu-me porque era uma alternativa e eu dei o meu contributo, incluindo financeiramente. Ajudei na campanha e a apelar a jovens e jovens LGBT para nos apoiar", disse.

"A esses jovens dei-lhes esperança de que com o PLP as coisas iam mudar, mas parece que afinal não é assim. Sinto-me discriminada", afirmou.

Instado a comentar o caso, Fidelis Magalhães, um dos principais dirigentes do PLP, disse desconhecer os contornos da situação, insistindo que Bella Galhos é "uma pessoa valiosa para o partido" com uma "obra e um contributo comunitário bem reconhecidos".

Explicando não poder comentar o caso ou a formação do Governo, cujas decisões "estão a ser tomadas pelos líderes máximos dos partidos", Magalhães rejeitou que a questão da orientação sexual possa ter sido um motivo.

"A Bella é uma pessoa inteligente, pessoa respeitada e com um valioso contributo. Nos processos deste tipo há muitos outros candidatos e eu nem sequer posso comentar o processo porque não sei sequer se está ou não no Governo", disse.

Galhos, 46 anos, é uma das mais conhecidas líderes da sociedade civil timorense, com um passado de violência que começou dentro da família, às mãos do pai, que teve 18 mulheres e 45 filhos e que aos três anos a vendeu por cinco dólares a um soldado indonésio.

O argumento, na altura, era de que Galhos tinha uma "personalidade muito masculina, dominante". A criança acabou por regressar a casa, depois de muito implorar da mãe.

Com 16 anos tornou-se elemento ativo da resistência, foi agente duplo dentro das forças armadas indonésia - onde esteve três anos marcados por muita violência física e sexual - e acabou por conseguir, mais tarde, obter asilo político no Canadá.

Em 1999, depois do referendo em que os timorenses escolheram a independência, voltou a Timor-Leste, trabalhou nas Nações Unidas, completou um curso de psicologia e ocupou vários cargos em organizações da sociedade civil.

Entre 2012 e 2017 foi conselheira do então Presidente da República Taur Matan Ruak, período durante o qual construiu e geriu a primeira 'Escola Verde' do país, em Leublora, a sul de Díli onde funciona hoje uma quinta e restaurante de comida orgânica e uma cooperativa de mulheres.

Atualmente gere a Pousada de Maubisse, no centro do país.

ASP // FPA
Centenas de pessoas nas ruas de Macau contra aumento das multas de estacionamento

Centenas de pessoas nas ruas de Macau contra aumento das multas de estacionamento


Macau, China, 16 jun (Lusa) - Centenas de pessoas manifestaram-se hoje nas ruas de Macau contra uma proposta do Governo que previa um aumento das multas de estacionamento cujo valor podia ultrapassar as mil patacas (cerca de 100 euros).

A proposta chegou a ter data marcada para consulta pública (entre junho e agosto), mas acabou mesmo por ser suspensa assim que começaram os primeiros protestos, na Assembleia Legislativa e nas redes sociais.

"Mesmo que tenha sido suspenso o processo de consulta pública, o problema mantém-se: (...) o Governo não consegue solucionar a questão principal que tem a ver com a criação de estacionamento", disse hoje à Lusa Luís Leong, um dos membros da organização e fundador da Associação Iniciativa de Desenvolvimento Comunitário, que promoveu a manifestação.

"Macau é demasiado pequeno, de grande densidade populacional. O nosso sistema de transportes públicos é bom: não precisamos de mais condutores em Macau", sublinhou.

No Jardim Vasco da Gama, ponto de partida da manifestação, dezenas de pessoas discursaram sobre os problemas de mobilidade em Macau, sob a atenção da polícia local que montou um dispositivo para gerir a passagem das centenas de pessoas pelas ruas de Macau.

O deputado da Assembleia Legislativa, José Maria Pereira Coutinho, uma das pessoas que foi chamada a discursar, disse aos jornalistas que "é errado aumentar o preço das multas, quando não existe espaço suficiente para estacionar as viaturas", aproveitando para apelar para que o Governo se empenhe "na criação de mais espaços de estacionamento".
A marcha contou ainda com a presença do deputado pró-democracia, AU Kam San.

A Direção dos Serviços para os Assuntos de Tráfego (DSAT) garante que este ano haverá mais seis parques de estacionamento públicos, os quais vão proporcionar um total de 2.183 lugares para estacionamento de automóveis ligeiros e 2.356 lugares para estacionamento de ciclomotores e motociclos.

Numa conferência de imprensa em 08 de junho, o responsável pela DSAT, Lam Him San, destacou que até ao final do ano passado havia mais 120 mil lugares de estacionamento em edifícios privados.

Lam Him San informou que no primeiro trimestre deste ano os edifícios já com licença de utilização, aliados aos edifícios em construção, edifícios concluídos e edifícios privados em fase de projeto oferecem, no total, 36.300 lugares de estacionamento.

Em simultâneo, o Governo está a estudar a construção de autossilos automáticos em locais adequados.

MIM/JMC // MSF
Centenas de empresários, responsáveis da banca e do Governo chinês reúnem-se em Lisboa

Centenas de empresários, responsáveis da banca e do Governo chinês reúnem-se em Lisboa


Macau, China, 15 jun (Lusa) - Pelo menos 280 empresários e representantes de instituições financeiras e governamentais da China vão participar no 13.º Encontro de Empresários em Lisboa, na próxima semana, disse à Lusa a secretária-geral do Fórum Macau.

"Este ano, vão estar presentes 280 pessoas da China e de Macau", declarou Xu Yingzhen, secretária-geral do Fórum para a Cooperação Económica e Comercial entre a China e os Países de Língua Portuguesa (Fórum Macau).

Além da presença de empresários chineses de todos os ramos de atividade, a vice-ministra do Comércio da China, Gao Yan, vai intervir no encontro, tal como o secretário da Economia e Finanças de Macau, Lionel Leong, e o secretário de Estado para a Internacionalização de Portugal, Eurico Brilhante Dias, entre outros, de acordo com o programa.

"Este é o maior encontro", com a presença de empresários de vários ramos de atividade e de diferentes zonas da China, responsáveis de organismos oficiais e de bancos e instituições financeiras, frisou Glória Batalha Ung, secretária-geral adjunta indicada pela Região Administrativa Especial de Macau (RAEM), destacando também a presença de perto de 90 empresários portugueses.

No encontro "China e Países de Língua Portuguesa - Uma nova abordagem pragmática" vão ser assinados mais 20 acordos entre a China e os Estados lusófonos presentes, acrescentou.

O objetivo deste encontro, organizado pelo Conselho para a Promoção do Comércio Internacional da China (CCPIT) e associações empresariais dos países-membros do Fórum Macau, é que "os empresários de cada país encontrem oportunidades de negócio", disse Xu Yingzhen.

A deslocação a Lisboa concretiza também a decisão, tomada na última reunião ordinária do Fórum, em março, de realizar visitas regulares a todos os países-membros, todos os anos, para dar a conhecer os países e possíveis áreas de cooperação.

O organismo efetua ainda visitas regulares à China para apresentar os países lusófonos.

"Começamos em Portugal, seguindo depois um grupo para o Brasil e outro para Cabo Verde e Guiné-Bissau", na mesma semana, explicou o secretário-geral adjunto indicado pelos países de língua portuguesa, Rodrigo Brum.

A secretária-geral do Fórum Macau considerou que Portugal, que sempre teve uma estreita ligação com Macau, pode trabalhar mais, em certos campos, com o organismo.

Xu Yingzhen destacou as áreas da 'economia azul' e das 'startups', lembrando o estabelecimento, no ano passado, em Macau, do centro de empreendedorismo jovem.

"O Governo português conhece este Fórum e presta atenção" ao trabalho aqui desenvolvido no âmbito da cooperação entre a China e o bloco lusófono, disse.

Para Xu Yingzhen, o balanço dos 15 anos do Fórum Macau é positivo.

"As trocas comerciais e o investimento entre a China e os países de língua portuguesa têm-se intensificado. Se em 2002, antes do estabelecimento do Fórum, o valor global das trocas comerciais era de cerca de seis mil milhões de dólares norte-americanos [5,1 mil milhões de euros], em 2017 foi de 117,6 mil milhões" de dólares (101 mil milhões de euros), indicou.

Quanto ao "investimento direto da China nos países lusófonos passou de 56 milhões de dólares norte-americanos em 2003 [48,3 milhões de euros], para cerca de 5,7 mil milhões de dólares americanos em 2016 [4,9 mil milhões de euros], sendo que o investimento total da China nestes países é de 50 mil milhões de dólares [43,1 mil milhões de euros]", sublinhou.

O Fórum Macau trabalha para levar os empresários a concretizar negócios, disse.

"Somos um organismo governamental, quem aqui trabalha são representantes, enviados por cada uma das partes. Somos um secretariado e aplicamos as medidas definidas nas conferências ministeriais", explicou Yu.

"Os contratos só podem ser assinados entre empresários e o nosso trabalho é guiar, quando detetamos uma área que pode ser interessante para todos os países participantes do Fórum", acrescentou a secretária-geral.

Este Fórum trabalha "para intensificar a cooperação" entre a China e os países lusófonos, mas também os próprios países podem entre si detetar estas oportunidades", reiterou.

Criado em 2003 por Pequim, o Fórum Macau tem um Secretariado Permanente, reúne-se a nível ministerial a cada três anos e integra, além da secretária-geral, Xu Yingzhen, e de três secretários-gerais adjuntos, oito delegados dos países de língua portuguesa (Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste).

EJ // FPA

quinta-feira, 14 de junho de 2018

Vitória Ida Ne’e Sei Labuat Hotu Tan Obstákulu Oioin Sei Mosu

Vitória Ida Ne’e Sei Labuat Hotu Tan Obstákulu Oioin Sei Mosu


DILI, (TATOLI) - Reitór Universidade Nasionál Timor Lorosa’e (UNTL), Francisco Miguel Martins, hatete susesu ne’ebé graduandu sira hetan sei labuat hotu katak dezafiu foun no obstákulu oioin sei mosu no sei hasoru iha moris.

“Simples liu ita dehan imi lahetan serbisu. Buka serbisu husi fatin ida bá fatin seluk ema taka odamatan ba imi ka buat seluk tan, maibé lalika dezanima, foti oin hateke bá dook katak iha ita-nia lia ofisiál portugés dehan falha é um sucesso adiado tanba ne’e luta nafatin basá UNTL fó de’it mak kail la’ós ikan katak UNTL la’ós fó de’it ikan ba imi atu han iha refeisaun ida de’it, maibé kail ida ne’ebé UNTL fó hanesan buka’e ida oinsá imi buka ikan rasik ho badinas hodi hetan ikan barak liután ba imi-nia moris tomak”, profesór Martins enkoraja graduandu sira iha serimónia graduasaun UNTL ba da-XIX iha Sentru Konvensaun Dili, ohin.

Retór elojia graduandu sira tanba konsege ona ultrapasa obstákulu sira hotu, susar oioin, osan laiha, difikuldade iha matéria, hahán mós dalaruma laiha, hela fatin iha Dili laran laiha, balun hela de’it ho parente no serbisu ba família iha uma ne’ebé hela ba nomós estuda maka’as no ikus mai esforsu tomak ne’ebé halo hetan duni folin.

“Dalaruma ka dalabarak ita rona liafuan sira hanesan ne’e a luta continua, a vitória é certa. Ohin imi-nia loron vitória husi luta hirak ne’ebé imi halo iha loron dahuluk kedas imi tau ain iha UNTL”.

Iha parte seluk retór mós hato’o agradesimentu wa’in ba konfiansa inan-aman sira-nia ba UNTL atu haruka oan sira hodi buka matenek iha instituisaun ida ne’e.

“Ho esforsu tomak ita hotu nian, inan-aman, parente, viziñu, komunidade husi ita ida-idak nia orijen nomós ita-nia Estadu, Governu, Parlamentu, autoridade sivíl no militár, profesór, tékniku administrativu nomós kontribuisaun husi parte oioin dalaida tan ita ku’u nia fuan ne’ebé ita kuda, trata, kuída husi kedas sira hirak ne’e sama ain loron dahuluk iha UNTL”.

Ho naran UNTL, Francisco Miguel Martins, reitera votu felisidade, susesu no esperansa ba futuru hahú husi ohin ba sira ne’ebé termina ona kursu iha universidade no prepara atu tama iha etapa foun moris nian.

Totál garduandu UNTL ne’ebé ohin simu graduasaun ne’e hamutuk 614, feto hamutuk 324 no mane 290 husi fakuldade ualu mak hanesan agrikultura, enjenãria, siénsia no tekonolojia, edukasaun, arte no umanidade, medisina no siénsia saúde, ekonomia no jestaun, direitu, siénsia sosiál no filozofia. Husi númeru ne’e porsentu 10 ka ema na’in-62 mak hetan ona serbisu no porsentu 90 ka ema na’in-552 seidauk hetan empregu no graduasaun ba mestradu no pós-graduasaun hamutuk na’in-28.

Jornalista: Maria Auxiliadora | Editór: Manuel Pinto

Imajen: Graduandu UNTL. Foto/ Mídia Komunikasaun UNTL.
Lere: Polítiku sira tenki asegura VIII Governu - Lakohi tan EA

Lere: Polítiku sira tenki asegura VIII Governu - Lakohi tan EA


Xefi Estadu Maior FALINTIL-Forsa Defeza Timor-Leste (F-FDTL), Major Jeneral Lere Anan Timur sujere ba lideransa Partidu Polítiku (ParPol) sira atu asegura ezistensia VIII Governu, tanba lakoi atu akontese tan segundu Eleisaun Antesipada (EA)

“Pelumenus ate dia 16 fulan ida ne’e, ita tenki hatene Governu ne’e forma ona, ita labele dada ba bei-beik no Governu ida ne’ebé tenki metin no sólidu ba tinan 5, labele to’o dalan klaran monu, tanba ha’u nuudar Komandante lakohi akontese tan Eleisaun Antesipada (EA), sé maka atu obriga ha’u atu hakarak fali. Ita labele kompara Timor ho Italia, Espanha no Alemanha, tanba sira ne’e país ida dezenvolvidu, ema maka monu, maibé ekonómia la monu.” Xefi Estadu Maior F-FDTL ba jornalista sira hafoin remata enkontru semanal ho Prezidente Repúblika (PR), Francisco Guterres ‘Lú Olo’, iha Palasiu Prezidensial, Bairo Píte, Díli, Kuarta (13-06-2018), hodi informa servisu F-FDTL nian no situasaun jeral iha teritoriu tomak ba PR.

Major Jeneral Lere Anan Timur, sujere mós ba lider ParPol sira katak, karik akontese diferensia ideolojia ruma entre polítiku sira iha Governu no Parlamentu Nasional (PN), tenki rezolve ho ulun malirin, hodi asegura governasaun VIII Governu.

“Ba ha’u problema ruma diak liu halo diálogu, para Governu labele monu, ita nia lider históriku sei iha, Xanana Gusmão, Mari Alkatiri, Ramos Horta sei iha ne’e, imi nain 3 tuur hamutuk halo oinsa para Governu ne’e metin para lori jerasaun foun abanbainrua sai diak,” hateten Xefi Estadu Maior F-FDTL.

Nia apela mós ba lideransa ParPol sira, karik hakarak jerasaun foun banati tuir lideransa sira-nia dalan, sira tenki hatudu ezemplu ne’ebé diak ba jerasaun atu banati tuir.

“Ita bai-bain koalia dehan sama tuir ami-nia ain fatin, sé o-nia ain fatin kleuk, ema labele sama tuir. Ha’u preokupa situasaun polítika agora dau-dauk ne’e, para que horibainrua ou horibaintolu ha’u rona husi (Deputadu) Arão Noe dehan atu forma PN mós ami seidauk to’o konsensu, entaun bainhira maka to’o konsensu,” informa Lere Anan Timur.

Entretantu Major Jeneral Lere Anan Timur relata, F-FDTL no PNTL sei mantein pozisaun hodi garante seguransa ho neutru no rona mós desizaun husi Komandante Supremu Forsa Armada PR Lú Olo tuir konstituisaun, karik la tuir konstituisaun sei la halo tuir. Maibé instituisaun F-FDTL konfia PR, tanba PR ninia hakarak maka servi povu no nasaun.ves

GMN TV | Grupo Média Nacional
FRETILIN Konsidera AMP Forma Bankada Inkonstitusionál

FRETILIN Konsidera AMP Forma Bankada Inkonstitusionál


DILI: Partidu koligasaun Aliansa Mudansa ba Progresu (AMP) tuir planu sei ‘fahe-malu’ hodi estabelese bankada tolu iha Parlamentu Nasionál tuir ida-idak nia-partidu, hodi garantia funsionamentu partidu nian.

Maski nune’e, planu AMP nian hetan reasaun makaas husi bankada partidu FRETILIN.

Tuir deputadu FRETILIN, Antonino Bianco hatete, antes atu tama ba eleisaun antesipada partidu tolu CNRT, PLP no KHUNTO hahú halo ona koligasaun pre-eleitorál hodi kompete iha eleisaun.

Ne’e duni, iha eleisaun antesipada partidu tolu hamutuk sai bloku AMP, nune’e sira iha konsensu hodi avansa lista úniku hodi aprezenta ba Tribunál Rekursu hodi hetan aprovasaun.

“Iha eleisaun antesipada povu la vota ba CNRT, PLP no KHUNTO, maibé vota ba AMP”, dehan nia, iha Uma Fukun PN, horisehik.

Maibé, mai iha PN bloku ne’e deside fahe-malu hodi estabelese bankada ketak-ketak, ne’e kontra ona konstituisaun artigu 70 númeru (1). Tanba ne’e konsidera inkonstitusionál.

Hataan ba kestaun, Membru Jurisdisaun AMP, Carmelita Moniz hatete, partidu tolu hanesan CNRT, PLP no KHUNTO antes atu halo koligasaun pre-eleitorál, halo ona akordu eskrita hodi aprezenta ba CNE no koopera hamutuk Tribunál Rekursu (TR).

Iha karta ne’e ko’alia katak partidu tolu halo pre-eleitorál, maibé depois eleisaun remata mai iha PN sei fahe malu hodi harii bankada keta-ketak tuir akordu ne’ebé AMP halo.

Depois kuandu iha ona publikasaun husi Jornál Repúblika iha momentu ne’ebá laiha partidu polítiku ida mak kestiona. Nia esplika, deputadu iha PN iha guia ida hodi hala’o funsaun hanesan reprezentante povu hodi halo debate ruma ne’e bazeia ba mata dalan rejimentu PN Artigu 11.

Bazeia ida ne’e, iha períodu hirak liu ba kuandu partidu ASDT no PSD halo koligasaun, sira estabelese bankada rua keta-ketak. Tanba ne’e, presedente hatudu hein la’o tuir de’it.

Iha fatin hanesan, deputadu FRETILIN, David Dias Ximenes hatete, ASDT no PSD ne’ebé uluk halo koligasaun, maibé fahe malu hodi harii bankada rua ne’e presedente ne’ebé la di'ak. Tanba ne’e, hanesan deputadu labele repete dala ida tan.

Jacinto Xavier | Independente
Protesto da oposição marca eleição de elementos da mesa do Parlamento timorense

Protesto da oposição marca eleição de elementos da mesa do Parlamento timorense


Díli, 14 jun (Lusa) - Deputados dos partidos da oposição timorense abandonaram hoje o parlamento em protesto contra a única lista apresentada para preencher a mesa do Parlamento Nacional, que integra praticamente só elementos da coligação vencedora das legislativas.

Os deputados da Frente Revolucionária do Timor-Leste Independente (Fretilin), praticamente todos os do Partido Democrático (PD) e o líder da bancada da Frente de Desenvolvimento Democrático (FDD), abandonaram o parlamento depois de um debate sobre a composição da mesa.

Apenas dois elementos do PD permaneceram na sala, sendo que nenhum votou na lista de candidatos, tendo acabado por ser considerados 'ausentes'.

No segundo dia da legislatura, a agenda de trabalhos incluía apenas a eleição dos cinco elementos que se juntam ao presidente do Parlamento, Arão Noé Amaral, eleito na quarta-feira.

Devido à saída dos deputados da oposição, a lista acabou por ser aprovada por unanimidade dos deputados presentes (36 votos a favor), em concreto os 34 dos três partidos da coligação de Governo, a Aliança de Mudança para o Progresso (AMP) e dois dos três da Frente Desenvolvimento Democrático (FDD).

A acompanhar Arão Noé Amaral (CNRT) na mesa estão, como vice-presidentes, Maria Angelina Sarmento (PLP) e Luis Roberto da Silva (KHUNTO), como secretária Maria Teresinha Viegas (CNRT) e como vice-secretárias Regina Freitas (PLP) e Isabel Ximenes (FDD).

A única lista de membros, apresentada pelas bancadas da Aliança de Mudança para o Progresso (AMP), incluía elementos dos três partidos da coligação, o Congresso Nacional da Reconstrução Timorense (CNRT), do Partido Libertação Popular (PLP) e do Kmanek Haburas Unidade Nacional Timor Oan (KHUNTO) e um elemento da FDD.

A oposição não apresentou nenhuma lista alternativa à que foi votada, contestando, no entanto, o facto da lista não incluir membros da Fretilin ou PD.

Já na votação de quarta-feira, o presidente do parlamento foi eleito com 36 votos a favor, o que parece sugerir alguma divisão no seio da coligação FDD, que está representada no Parlamento Nacional por deputados de três partidos.

Em concreto trata-se de António de Sá Benevides, do PUDD, de Gilman dos Santos, da UDT, e Isabel Ximenes, da FM.

No protesto de hoje, António de Sá Benevides associou-se às bancadas da oposição, Fretilin e PD.

Nas próximas semanas deverá ser conhecido e tomar posse o elenco do VIII Governo constitucional que é apoiado pelas bancadas da AMP.

ASP // FPA
Pelo menos 13 mortos e 12 desaparecidos após naufrágio na Indonésia

Pelo menos 13 mortos e 12 desaparecidos após naufrágio na Indonésia


Jacarta, 14 jun (Lusa) - Pelo menos 13 pessoas morreram e 12 estão desaparecidas sequência de um naufrágio de uma embarcação na ilha Celebes, na região central da Indonésia, anunciaram hoje órgãos de comunicação locais.

De acordo com as equipas de socorro no local, 24 passageiros foram resgatados com vida e estão a ser tratados em hospitais da região.

O barco zarpou na tarde de quarta-feira de Makassar, no sul da ilha, com destino à ilha Barrang Lompo, a 15 quilómetros a noroeste do ponto de partida.

O diretor da agência local para desastres disse ao portal de notícias "Republika.co.id" que o barco virou após ser atingido por uma onda provocada pelo mau tempo.

As autoridades já anunciaram que vão investigar se o barco transportava mais passageiros do que o legal permitido.

Dezenas de pessoas perdem a vida todos os anos naquele país na sequência de acidentes marítimos provocados pelo mau tempo, infraestruturas precárias e sobrecarga de passageiros e mercadorias.

O barco é o principal meio de transporte na Indonésia, arquipélago formado por mais de 17.000 ilhas e com uma população de 260 milhões de habitantes.

FST // JMC
GUNTUR-Oscar Substitui Xanana-Taur Iha PN

GUNTUR-Oscar Substitui Xanana-Taur Iha PN


DILI, (TATOLI) - Deputadu Partidu Libertasaun Popular (PLP) Sabino Soares “GUNTUR” substitui Prezidente PLP, Taur Matan Ruak iha V lejizlatura, enkuantu Deputadu CNRT, Oscar de Araújo, substitui Prezidente CNRT, Kay Rala Xanana Gusmão.

Xanana Gusmão ho Taur Matan Ruak, Ohin, la partisipa abertura lejizlatura da-lima tanba sira na’in rua nia fatin substitui ona.

“Sabino Soares ‘Guntur’ substitui Taur Matan Ruak tanba nia renunsia no Subtitui maun Xanana mak Oscar (de Araújo) husi Ainaro,” informa deputadu Fidelis Magalhães, husi Partidu Libertasaun Populár (PLP), ba jornalista sira iha uma fukun, Parlamentu Nasionál (PN), ohin.

Deputadu Fidelis mós informa katak Taur Matan Ruak no Xanana Gusmão la partisipa iha Parlamentu, liliu iha abertura lejislatura ne’e la’ós buat foun.

“Prezidente (PLP-red) Taur, iha tinan kotuk mós renunsia husi mandatu. La’ós buat foun; buat normál ida,” klarifika deputadu Fidelis Magalhães.

Nia esplika, renunsiasaun Taur Matan Ruak ho Xanana Gusmão e’e oportunidade ba joven sira para bele mai iha Parlamentu Nasionál nomós sai titular iha Parlamentu. “Sira akompaña nafatin servisu ne’ebé la’o iha Parlamentu,” konklui deputadu ne’e.

Jornalista: Rafy Belo | Editór: Manuel Pinto

Imajen: Deputadu Fidelis Magalhães
Deputadu Arão Noé Eleitu ba Prezidente PN Lejizlatura Dalimak

Deputadu Arão Noé Eleitu ba Prezidente PN Lejizlatura Dalimak


DILI, (TATOLI) - Deputadu/a lejizlatura dalimak liuhosi eleisaun iha Parlamentu Nasionál, Ohin, hili Deputadu Arão Noe hosi Bankada CNRT, hodi sai Prezidente Parlamentu Nasionál, atu lidera lejizlatura dalimak durante tinan lima.

Kandidatu ho lista úniku hosi Bloku Koligasaun Aliansa Mudansa ba Progresu (AMP) sai Prezidente PN hodi troka Prezidente Sesante, Aniceto Guterres (Deputadu FRETILIN) ho votu avabor 36, kontra 29, abstain zero, hosi deputadu na’in 65, ne’ebé fahe ba AMP na’in 34, FRETILIN, 23, Partidu Demokrátiku na’in 5 no Frente Dezenvolvimentu Demokrátiku na’in 3.

“Kandidatu úniku deputadu Arão Noé Da Costa Amaral, eleitu ba Prezidente Parlamentu Nasionál,” Prezidente PN sesante Aniceto Guterres deklara, iha plenária, ohin.

Prezidente Parlamentu Nasionál lejizlatura dalimak, Arão Noé iha nia diskursu promete katak durante nia mandatu sei kumpre konstituisaun no Rejimentu Parlamentu Nasionál, hodi serve povu Timor.

“Ha’u sei sai de’it sai de’it portavós ba parlamentu nasionál, la iha pleno poderes. Podér iha deputadu ida-idak nia liman, Tanba ne’e, durante hala’o knaar, ha’u sei hala’o no kumpre de’it konstituisaun, no rejimentu PN hodi servisu povu Timor-Leste tomak.” Arão promete.

Husu mós ba deputadu na’in 64 iha Parlamentu Nasionál atu haluha diverjénsia polítika, tanba eleisaun liu ona, maibé fó liman ba malu hodi hala’o knar atu halo fiskalizasaun, no rekolla povu nia lian hodi hato’o ba governu.

“PN mós tenke hadi’a an nafatin tuir evolusaun dezenvolvimentu global, atu nune’e ajuda hadi’ak povu nia moris,” nia afirma.

Enkuantu nia la haluha agradese ba Prezidente PN sesante Aniceto Guterres ho Primeiru Ministru, Mari Alkatiri ba sira nia prestasaun servisu durante ne’e.

“Lá haluha mós agradese ba Kay Rala Xanana Gusmão, Taur Matan Ruak, no Naimori, imi nia konfiasa mak ha’u nia determinasaun,” nia agradese.

Jornalista: Zezito Silva | Editór: Manuel Pinto

Imajen: Arão Noé Da Costa Amaral, eleitu ba Prezidente Parlamentu Nasionál
FRETILIN Triste ho Renunsia Xanana-Taur

FRETILIN Triste ho Renunsia Xanana-Taur


DILI, (TATOLI) - Deputadu bankada FRETILIN sira sente “triste” ho renunsia hosi lider partidu CNRT, Kay Rala Xanana Gusmão ho Prezidente Partidu Libertasaun Popular (PLP), Taur Matan Ruak. Tuir FRETILIN, lider na’in rua la respeita povu no Parlamentu Nasionál.

Deputadu Francisco Branco iha nia intervensaun konsidera, aktus ida ne’e hanesan presedénsia foun ne’ebé rejista iha Timor-Leste.

“Ami respeita desizaun ne’ebé lider partidu rua, CNRT no PLP, hasai desizaun husu renunsia ba mandatu ne’ebé povu fó ba sira, maibé ami tenta buka referénsia iha mundu seluk ho sistema hanesan, maibé ida ne’e presedénsia foun ne’ebé ita rejista, iha Timor-Leste.”

“Tuir ami nia haree polítika ida hanesan ne’e hatudu falta de respeitu ba eleitores sira no povu ne’ebé hili ita, atu mai reprezenta sira iha Parlamentu Nasionál (PN), no la dignifika órgaun soberania Parlamentu Nasionál,” Francisco Branco lamenta iha nia intervensaun, ohin.

Francisco Branco konsidera attitude (Xanana-Taur) atu hatete de’it, povu iha devér atu vota de’it, parlamentu nasionál, deputadu sira la iha dignidade, sira mai atu vota de’it, mós hanesan mákina atu vota de’it.

Iha fatin hanesan Deputadu FRETILIN Antonino Bianco, reforsa Lider PLP (Taur Matan Ruak) renunsia dala rua ona, renunsia uluk iha mandatu tinan 2017,agora renunsia tan hamutuk ho lider CNRT (Xanana Gusmão). Ho ida ne’e, nia husu atu ba oin la bele akontese tan, bainhira akontese hela de’it, signifika la valoriza eleitores sira nia votu.

Enkuantu Deputadu Joaquim Santos husu atu iha lejizlatura foun ne’e, deputadu sira buka hadi’ak lakunas ne’ebé iha ona, hanesan obrigasaun lejizladór sira atu haree.

“Ba oin ita haree ona atu haree ona lakunas rejimentais atu hadi’ak daudauk atu iha futuru mai la bele akontese hanesan agora.”

“Ita tenke respeita povu nia votu, demokrasia tenke iha regras nia laran. Ita deputadu sira tenke hanoin atu hadi’ak uluk ita nia uma laran,” nia sujere.

Prezidente Parlamentu Nasionál Sesante Aniceto Guterres mós fó hanoin katak Deputadu iha podér atu introdús alterasaun ba lei ruma, tanba ne’e preokupasaun ne’ebé ohin iha hela ba servisu lejizlatura dalimak nian.

Entretantu, Deputadu Mari Alkatiri mós husik hela fatin antes de prosesu eleisaun meja Parlamentu Nasionál nian, tanba substituisaun kedan hosi deputada Noémia Sequeira hosi FRETILÍN mós.


Jornalista: Julia Chatarina | Editór: Manuel Pinto
Imajen: Deputadu Hosi Bankada Fretilín ho PD hit kartaun Mean.
FDD Apoiu AMP Iha Kompozisaun Meza, FRETILIN-PD Wo

FDD Apoiu AMP Iha Kompozisaun Meza, FRETILIN-PD Wo


DILI, (TATOLI) - Parlamentu Nasionál, liuhosi plenária, ohin, hili ona Primeiru no segundu Vise Prezidente Parlamentu Nasionál, sekretaria meza no vice sekretaria meza na’in rua. Iha kompozisaun ne’e involve mós deputadu ida hosi Frente Dezenvolvimentu Demokrátiku (FDD). enkuantu lista kandidatura nian aprezenta úniku hosi Koligasaun Aliansa Maioria Parlamentár (AMP).

Deputada Maria Angelina Sarmento, hosi bankada Partidu Libertasaun Popular, asume kargu hanesan Primeiru Vice Prezidente Parlamentu Nasionál, Deputadu Luis Roberto da Silva hosi Partidu KHUNTO, nu’udar Segundu Vice Prezidente Parlamentu Nasionál.

Deputada Maria Teresinha Viegas, hosi Partidu CNRT, hetan fiar ka’er pasta sekretaria meza Parlamentu Nasionál, no ajuda hosi vice rua, I Vise Sekretária,  Isabel Maria B. Freitas Ximenes, hosi FDD, no Segundu Vice Regina Freitas, hosi Partidu Libertasaun Popular.

Iha prosesu votasaun deputadu sira hosi FRETILIN ho Partidu Demokrátiku ho Koligasaun FDD nia deputadu na’in ida hosi partidu PUDD,  abandona plenária (walk out ou WO) tanba konsidera lista úniku ne’ebé AMP aprezenta viola rejimentu parlamentu nasionál, liu-liu kestaun proporsionálidade.

Ho ida ne’e ikus mai kandidatu ba kompozisaun meza ne’ebé aprezenta hosi AMP, hetan votu avabor hamutuk 36, kontra zero, abstain zero, no deputadu na’in 29 mak abandona plenária.

Deputadu Partidu Demokrátiku, Mariano Assanami Sabino esplika katak, FRETILIN ho PD abandona plenária tanba la aseita ho lista úniku ne’ebé AMP aprezenta. Tuir Assanami kompozisaun meza PN tenke akumula forsa polítika hotu ne’ebé hetan asentu iha Parlamentu Nasionál.

Deputadu FDD, hosi Partidu Partidu Unidade Dezenvolvimentu Demokrátiku (PUDD) António Benevides de Sá, abandona mós plenária tanba ; Parlamentu nasionál hahú hosi lejizlatura primeiru to’o agora la koñese buat ida dialog, aleinde ida ne’e, la konkorda ho aprosimasaun AMP nian ba membru FDD hosi partidu Frente Mudança hodi tuur iha kompozisaun meza PN.

Entretantu deklarasaun Prezidente Parlamentu Nasionál (PN) Arão Noé, deklara rezultadu eleisaun ba membru meza parlamentár, asiste hosi deputadu PD na’in rua, ida mak Mariano Assanami Sabino (Prezidente Partidu Demokrátiku) ho deputada ida. Sira na’in rua bainhira nia maluk sira abandona plenária sira hili tuur hela iha plenária laran, maibé deside la vota.

“Rezultadu votasaun ho afavór 36, kontra zerro no abstensaun zerro ka deputadu opozisaun sira abandona plenária, maibé eleisaun ba membru meza parlamentár pasa,” Prezidente PPN, Arão Noé deklara, iha Meza Palamentu Nasionál, Ohin.

Jornalista: Zezito Silva | Editór: Manuel Pinto

Imajen: Deputadu AMP sira Vota iha Plenaria PN