sábado, 18 de agosto de 2018

Epidemia de escabiose (sarna) é caso de saúde pública ameaçada em Timor-Leste

PARTILHAR

Principalmente nos maiores aglomerados populacionais está a ocorrer em Timor-Leste o alastramento da epidemia de escabiose, vulgarmente conhecida por sarna. A doença é muitíssimo contagiosa a daí a sua galopante evolução entre alguns milhares de timorenses.

Ao que apurámos a informação ainda não chegou à esfera governamental e nada está a ser feito para encarar a epidemia como um caso de saúde pública que compete às autoridades de saúde, ao estado, combater e debelar. Promovendo o seu tratamento e a divulgação de como ocorre o contágio entre os timorenses.

Perante a análise da referida situação em Timor-Leste, técnicos de saúde que consultámos são de opinião que é realmente um grave caso de saúde pública que tem de ser encarado com emergência pelo Ministério da Saúde, hospitais, centros de saúde, clínicas e respetivos técnicos. Quanto mais tempo passar sem que esses serviços atuem muitas mais pessoas serão contagiados e este caso de ataque à saúde pública será agravado, adquirindo muito maiores dimensões. 

É igualmente importante esclarecer as populações através dos orgãos de comunicação social e de equipas criadas para o efeito sobre como evitar o contágio, procedimentos e processo de tratamento. 

Com o propósito de esclarecer sobre esta doença cutânea recorremos no Timor Agora ao que consta sobre a escabiose em página online (com vídeos) da ARSLVT -  convidando todos os que se interessarem por a consultar na integra ou em outras alternativas online. (TA)


Escabiose, como esta é transmitida, os seus sintomas e formas de tratamento

A Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo informa sobre a Escabiose (Sarna), como esta é transmitida, os seus sintomas e formas de tratamento. 

O que é a escabiose (Sarna)

A escabiose ou sarna é uma dermatose infecciosa provocada pelo ácaro Sarcoptes scabiei, que afecta apenas seres humanos. Esses parasitas não conseguem saltar nem voar. Na maioria dos casos, não conseguem sobreviver mais do que três dias fora do organismo.

Os surtos epidémicos ocorrem ciclicamente e dependem de factores diversos como a imunidade individual, condições de vida, hábitos higiénicos, migrações e aglomerados habitacionais. Esta parasitose ocorre em ambos os sexos, em todas as idades e raças e em todos os níveis sócio económicos.

Como é transmitida a escabiose

A escabiose é transmitida pelo contacto cutâneo directo prolongado com uma pessoa parasitada, contacto sexual ou pelo contacto da pele com as roupas de cama, toalhas, objectos pessoais de pessoas infestadas.

Quanto maior o número de parasitas no hospedeiro, maior é a probabilidade de transmissão. As crianças desempenham um papel importante na disseminação intrafamiliar, por apresentarem contacto físico próximo em casa ou nas creches / infantários. Os indivíduos assintomáticos mas infectados são tão contagiosos como um indivíduo com o quadro clínico completamente estabelecido.

Em climas temperados a escabiose é mais comum no Inverno.

Quais são os sintomas da escabiose?

O prurido é o sintoma mais comum, apresentando um agravamento nocturno, devido ao facto de o aumento da temperatura facilitar a movimentação do parasita na superfície cutânea.

Clinicamente podem observar-se vesículas e galerias que resultam da acção perfurante do ácaro e da reacção cutânea.

Nas crianças, as lesões mais frequentes são as vesículas, as lesões de coceira que podem infectar.

Esta dermatose tem uma apresentação característica: no adulto distribui-se abaixo do pescoço com predomínio no bordo anterior das axilas, região umbilical, cintura, região glútea, nas coxas, nos punhos, espaço interdigital dos dedos das mãos e nos cotovelos.

Em crianças, o envolvimento é generalizado com atingimento do couro cabeludo a da face, tronco e extremidades, incluindo palmas e plantas das mãos e dos pés.

Os sintomas da escabiose podem ocorrer entre duas e seis semanas após o contacto com uma pessoa infestada ou com seus objectos pessoais.

Como se trata a escabiose?

Para o tratamento da escabiose, o médico poderá receitar uma loção apropriada, para ser aplicada na pele, existindo vários tipos de loções no mercado.

Todas as roupas individuais, as roupas de cama e toalhas que estiveram em contacto com a pele da pessoa infestada nas últimas 48 horas antes do tratamento devem ser lavadas em máquina de lavar, com água quente e detergente, e secas preferencialmente em máquina de secar e passadas a ferro.

Todos os objectos que não podem ser lavados, como por exemplo brinquedos de peluche, devem ser mantidos em sacos plásticos bem fechados durante 14 dias antes de usá-los novamente.

O prurido ( coceira/comichão) pode durar várias semanas após o tratamento.

Como evitar a escabiose?

Evitar o contacto directo da pele com pessoa recentemente diagnosticada com escabiose e não usar as roupas pessoais, roupas de cama ou toalhas de pessoa infectada.

As crianças com diagnóstico de escabiose não devem voltar à escola até serem tratadas.


A Escabiose ( sarna ) não é uma doença de notificação obrigatória, nem de evicção escolar, motivo pelo qual nem todos os casos que ocorrem na comunidade são do conhecimento dos serviços de saúde publica.

É uma dermatose frequente na população mais jovem, tem distribuição mundial e muito variável. Ocorre em ambos os sexos em todas as idades e em todos os níveis sócio económicos.

Declarações de Elsa Soares, Departamento de Saúde Pública da Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo
PARTILHAR

Author: verified_user

Publicação luso-timorense sem fins lucrativos

0 comentários: