domingo, 6 de maio de 2018

EMPATE SPORTING x BENFICA (0 – 0) DÁ TÍTULO ANTECIPADO DE CAMPEÃO AO FC PORTO

PARTILHAR

FC Porto campeão português de futebol

O FC Porto sagrou-se hoje campeão português de futebol pela 28.ª vez, ao beneficiar do empate a zero entre o Sporting e Benfica, em jogo da 33.ª e penúltima jornada da I Liga.

Os 'dragões', que apenas jogam no domingo, em casa frente ao Feirense, têm quatro pontos de avanço sobre os dois rivais de Lisboa, que apenas podem somar mais três.

Na luta pela segundo lugar e com um encontro por jogar, o Sporting, que dá acesso à pré-eliminatória da Liga dos Campeões, passou a ter vantagem no confronto direto em relação ao Benfica.

NFO // NFO | Lusa

Sérgio Conceição dedica título aos pais e distribui méritos

Sérgio Conceição dedicou hoje o seu primeiro título de campeão na carreira aos seus pais, falecidos, distribuindo os méritos com os futebolistas, o staff do clube e o presidente Pinto da Costa.

"Na minha apresentação tinha dito que no fim desta época iria agradecer a duas pessoas que iriam estar muito contentes, que são os meus pais [falecidos]. Para eles este título", disse, emocionado, em curta conversa com os jornalistas, interrompida pelo entusiasmo dos festejos.

Conceição escusou-se a assumir o protagonismo do êxito, partilhando-o com todos: "Não sou o treinador, somos mais do que os cinco da equipa técnica, é o departamento médico e toda a estrutura. Merecem e estão de parabéns. Uma palavra para o presidente que me deu a oportunidade de trabalhar num clube que me diz muito e estou muito feliz por isso".

O treinador agradeceu à esposa e filhos que consigo "sofreram" -- "não é fácil levar um barco destes para a frente, sendo exigente comigo próprio e com os seus" -- num ano que classificou de "fabuloso".

"Há muita gente atrás deste título, sou apenas a pessoa, o líder que dá a cara, mas muita gente está de parabéns. O principal responsável do êxito é o FC Porto", reforçou.

Sérgio Conceição revelou que já teve a "oportunidade de agradecer aos jogadores, incansáveis esta época, sob uma liderança muito exigente, muito rigorosa".

"Tiveram grande capacidade de trabalho, grande humildade e reconheceram que tinham de trabalhar muito para sermos felizes. Foram os verdadeiros obreiros. Tal como [os adjuntos] o Vítor Bruno, o [Siramana] Dembélé, o [Diamantino] Figueiredo, o Eduardo [Oliveira], toda a estrutura. E o nosso presente que foi muito importante", concluiu.

RBA // NFO | Lusa
PARTILHAR

Author: verified_user

Publicação luso-timorense sem fins lucrativos

0 comentários: