domingo, 8 de janeiro de 2017

Um Presidente interessado "na singularidade de Macau" -- ex-presidente da Assembleia

PARTILHAR
Macau, China, 08 jan (Lusa) -- A última presidente da Assembleia Legislativa de Macau antes da transferência de administração para a China, Anabela Ritchie, recorda Mário Soares como um Presidente muito interessado "na preservação da identidade" local e preocupado com a prevalência de direitos fundamentais.

"Tinha muito em mente a preservação da identidade e singularidade de Macau, a manutenção de Macau depois da transição para a República Popular da China", recordou Anabela Ritchie à Lusa, apontando que o segundo mandato de Soares como Presidente, até 1996, coincidiu com um "período muito importante" para o território, quando se negociava a "entrega" de Macau.

Apesar da distância, Ritchie garante que Soares "sempre se interessou, sempre quis ouvir" e mostrava "grande solidariedade e carinho" por Macau. "Interessava-se mesmo e usava amiúde a expressão 'Macau é um desígnio nacional', no sentido em que é um projeto que deve envolver toda a gente. Creio que sensibilizava as pessoas para as tarefas que estavam a ser realizadas em Macau no período de transição", lembra.

A antiga presidente da Assembleia, que iniciou essas funções em 1992 mas já antes era deputada, recorda várias ocasiões em que conversou com Soares sobre "os rumos que Macau estava a trilhar" e, apesar de não ter "intervenção direta", este acompanhava os trabalhos e "incentivou" as tarefas da Assembleia na época pré-transição.

"A preocupação era que o conjunto de princípios e valores que são caros a Portugal e aos portugueses pudessem ser preservados aqui em Macau e praticados depois da transferência de administração. Ninguém tem dúvidas que Mário Soares era um democrata, um lutador da liberdade e da democracia. Por onde passasse queria ver estes princípios implementados, as liberdades individuais, as liberdades fundamentais", sublinha.

Apesar deste interesse pelos direitos fundamentais, Soares não manifestou a Anabela Ritchie preocupação com a questão do método de eleição do líder do Governo ou dos deputados da Assembleia: "Isso não, que me lembre nunca surgiu nenhuma diretiva nesse sentido".

Mário Soares morreu no sábado, aos 92 anos, no Hospital da Cruz Vermelha, em Lisboa, onde estava internado há 26 dias, desde 13 de dezembro.

O Governo decretou três dias de luto nacional, a partir de segunda-feira.

Soares desempenhou os mais altos cargos no país e a sua vida confunde-se com a própria história da democracia portuguesa: combateu a ditadura, foi fundador do PS e Presidente da República.

Nascido a 07 de dezembro de 1924, em Lisboa, Mário Alberto Nobre Lopes Soares foi fundador e primeiro líder do PS, e ministro dos Negócios Estrangeiros após a revolução do 25 de Abril de 1974.

Primeiro-ministro entre 1976 e 1978 e entre 1983 e 1985, foi Soares a pedir a adesão à então Comunidade Económica Europeia (CEE), em 1977, e a assinar o respetivo tratado, em 1985. Em 1986, ganhou as eleições presidenciais e foi Presidente da República durante dois mandatos, até 1996.

ISG//FV.
PARTILHAR

Author: verified_user

Publicação luso-timorense sem fins lucrativos

0 comentários: