quarta-feira, 8 de agosto de 2018

Governo português lamenta perda de vidas em sismo na Indonésia

PARTILHAR

Lisboa, 07 ago (Lusa) - O Governo português lamentou hoje a perda de vidas e as centenas de feridos e desalojados provocados pelo sismo de domingo na ilha de Lombok, Indonésia, numa região de onde foram retirados cerca de duas dezenas de cidadãos portugueses.

"Este terramoto é tanto mais consternador quanto ocorreu uma escassa semana após outro sismo, no mesmo local, ter provocado também significativa perda de vidas humanas e danos materiais. O Governo de Portugal apresenta as suas mais sentidas condolências às autoridades indonésias e aos familiares das vítimas, expressando os mais sinceros votos de rápida recuperação dos feridos", refere a nota do Governo português.

Cerca de sete mil turistas foram retirados das ilhas Gili, perto de Lombok, onde um sismo de magnitude 6,9 provocou, no domingo, pelo menos 98 mortos e centenas de feridos.

Os milhares de turistas foram transportados para Lombok, onde aguardam transporte para a ilha turística de Bali ou para a capital, Jacarta, de acordo com a agência noticiosa "Antara", que cita o ministro da Segurança indonésio, Wiranto.

As equipas de emergência indonésias prosseguem hoje com as operações de resgate. De acordo com o porta-voz da Agência Nacional de Gestão de Desastres, as equipas já conseguiram retirar, com vida, uma pessoa que se encontrava numa mesquita que desabou no norte de Lombok, a área mais afetada, com 72 mortos.

O sismo, com o epicentro a dez mil metros de profundidade, ocorreu uma semana após um outro abalo também na ilha turística de Lombok, que provocou 17 mortos e mais de 300 feridos.

O secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), António Guterres, já ofereceu a ajuda da entidade ao país, situado no Fogo do Pacífico", uma região de grande atividade sísmica e vulcânica que regista cerca de sete mil terramotos por ano, na maioria moderados.

Em 2004, um sismo na costa norte da ilha indonésia de Sumatra originou um tsunami que provocou pelo menos 280 mil mortos em 12 países banhados pelo Índico, a maioria na Indonésia.

Cerca de duas dezenas de cidadãos portugueses que se encontravam na Indonésia durante o sismo de domingo estavam na segunda-feira à tarde a ser retirados das ilhas Gili em embarcações do Governo indonésio, segundo revelou a Secretaria de Estado das Comunidades Portuguesas.

A ilha de Lombok, dominada pelo vulcão Rinjani, encontra-se a leste de Bali, o principal destino turístico da Indonésia.

A Indonésia está localizada no designado "anel de fogo do Pacífico", área de grande atividade sísmica, que regista anualmente cerca de 7.000 sismos, a maioria dos quais moderados.

SO (FST/JOP) // SB
PARTILHAR

Author: verified_user

Publicação luso-timorense sem fins lucrativos

0 comentários: