sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017

Ministério timorense pede desculpa por milhares de folhetos com erros de português e inglês

PARTILHAR
O Ministério do Comércio, Industria e Ambiente (MCIA) de Timor-Leste pediu hoje desculpa pela divulgação de um folheto de promoção comercial com graves erros ortográficos nos textos, afirmando que a empresa responsável pela produção vai assumir todos os custos.

"O ministério lamenta e reconhece que foram cometidos erros na elaboração dos referidos folhetos. Informamos que todos os exemplares que haviam sido distribuídos, já foram recolhidos", refere um comunicado do MCIA enviado à Lusa.

A nota refere que o MCIA tomou "as medidas e procedimentos adequados" para que o folheto seja reimpresso "com o máximo rigor" sendo que "o custo para a impressão dos novos catálogos vai ser integralmente assumido pela empresa que produziu" os folhetos.

A Lusa noticiou esta semana que pelo menos dois mil exemplares do folheto de promoção de produtos timorenses tinham que ser destruídos por terem centenas de erros.

A ideia do folheto a cores, de 26 páginas, era dar a conhecer o potencial de vários produtos timorenses, do sal marinho à madeira de teca, do bambu ao café e ao óleo de coco, dos panos tradicionais (tais) ao arroz vermelho e negro.

Só que os textos em inglês e português que apresentam cada produto estão com tantos erros que o folheto teve de ser totalmente revisto.

Os folhetos do Ministério do Comércio, Industria e Ambiente (MCIA) de Timor-Leste já tinham sido enviados para várias embaixadas de Timor-Leste e distribuídos por vários locais no país, incluindo hotéis.

Aníbal Carvalho Martins, diretor de promoção e marketing do MCIA, já tinha explicado à Lusa que os 2.000 exemplares, que custaram cerca de 25 mil dólares, foram produzidos por uma empresa gráfica timorense que ficou encarregue de preparar os textos.

SAPO TL com Lusa
PARTILHAR

Author: verified_user

Publicação luso-timorense sem fins lucrativos

0 comentários: