quarta-feira, 1 de agosto de 2018

Extremista que planeou ataque na Austrália condenado a mais de 17 anos de prisão

PARTILHAR

Brisbane, Austrália, 31 jul (Lusa) - Um extremista que planeou um ataque na Austrália com recurso a engenhos incendiários do tipo 'cocktail-Molotov', depois de ter sido impedido de voar para combater na Síria, foi condenado hoje a 17 anos e quatro meses de prisão.

Agim Kruezi, de 25 anos, que já se tinha declarado culpado de preparar uma incursão num estado estrangeiro para cometer um ato terrorista, foi condenado a 17 anos e quatro meses de prisão, com a determinação de um período de 13 anos em que não pode ser concedida liberdade condicional.

A lei australiana proíbe que um cidadão lute num país estrangeiro, exceto se integrado numa força militar do Estado.

A tentativa de Kruezi de viajar para a Síria para lutar com o movimento Jabhat Al Nusrah, ligado à Al-Qaeda, em março de 2014, foi impedida por funcionários do aeroporto de Brisbane.

Depois de ter sido cancelado o passaporte, o australiano decidiu planear um ataque no seu próprio país, mas acabou por ser detido em casa, em Logan, a sul de Brisbane, na sequência de uma operação policial em setembro de 2014.

A juíza Rosalyn Atkinson disse na leitura da sentença que Agim Kruezi não tinha rejeitado as visões violentas e extremistas que o levaram a comprar materiais para produzir as bombas incendiárias.

"Você continua a representar um sério risco para a população", afirmou Atkinson, sublinhando que este queria criar "morte ou destruição" na Austrália, motivado por um dever religioso.

JMC // MIM
PARTILHAR

Author: verified_user

Publicação luso-timorense sem fins lucrativos

0 comentários: