domingo, 28 de maio de 2017

SOBERANIA | China acusa Estados Unidos de ameaçar a segurança com incursões aéreas

PARTILHAR
Beijing, 28 mai (lusa) - O Ministério da Defesa chinês confirmou hoje um incidente aéreo com caças chineses e um avião norte-americano perto de Hong Kong, e culpou os Estados Unidos (EUA), considerando que violaram a soberania chinesa e colocaram "vidas em perigo".

De acordo com o comunicado do ministério, o avião norte-americano foi descoberto na quinta-feira no sudeste de Hong Kong e "intercetado, de acordo com a lei", por operações "seguras e profissionais" dos caças chineses.

"Ultimamente, os EUA enviaram navios militares e aeronaves para o espaço aéreo e marítimo chines, violando a nossa soberania territorial, além de representar uma ameaça para a vida dos povos dos dois países", referiu a tutela nota oficial.

Na sexta-feira, um funcionário do Pentágono disse à estação televisiva Fox News que os dois caças chineses, da classe J-10, chegaram a voar a menos de 200 metros da aeronave de vigilância, de modelo P-3, incorrendo num sério perigo de colisão.

Este incidente aconteceu depois de, na quarta-feira, o contratorpedeiro "USS Dewey" ter navegado a menos de 20 quilómetros de uma das ilhas artificiais construídas por Pequim em águas disputadas com países vizinhos no mar do sul da China.

Na quinta-feira, Pequim instou Washington a "corrigir a má conduta" no mar do sul da China, depois de o contratorpedeiro norte-americano ter navegado no território.

O porta-voz do Ministério de Defesa chinês, Ren Guoqiang, revelou na altura que Pequim apresentou um protesto formal aos EUA e afirmou que a decisão norte-americana mina a "estabilidade" na região.

Washington insiste em ter o direito de navegar naquelas águas que diz serem território internacional, mas Pequim reclama a quase totalidade do mar do sul da China, apesar dos protestos dos países vizinhos.

VP (JOYP) // ROC
PARTILHAR

Author: verified_user

Publicação luso-timorense sem fins lucrativos

0 comentários: