domingo, 14 de maio de 2017

BOA VIAGEM, FRANCISCO. MUITO OBRIGADO. ATÉ À PRÓXIMA OPORTUNIDADE - com fotos

PARTILHAR

Francisco disse adeus à cidade de Fátima e aos que a ela acorreram para o ver, sorrindo e acenando. Largas centenas, muitos milhares ao longo do curto percurso, também lh acenaram e gritaram vivas ao papa.


Rumo a uma segunda viatura que havia de transportar à base aérea de Monte Real. o papa também deixou transparecer no seu rosto a comoção do momento da despedida e do modo caloroso como decorreu a sua estadia em Fátima, Portugal.


Já junto à segunda viatura, numa rotunda às portas de Fátima, Francisco pisa pelos últimos minutos solo português em Fátima. Rodeado pelas equipas de segurança e elementos do clero revela na face o cansaço e a hora da despedida.


Mais um passo e entrou na viatura descaracterizada que o foi levar a Monte Real. Antes despedira-se dos elementos do clero que até ali o acompanharam. "Adeus Fátima, até à próxima oportunidade", talvez tenha dito ou somente pensado.


Na base aérea de Monte Real, da Força Aérea Portuguesa, foi reservado um espaço para as centenas de portugueses que ali quiseram saudar e despedirem-se do papa Francisco.


Um avião da TAP foi destinado para o levar a Roma. Exatamente dentro deste avião Francisco aguarda que sejam cumpridos os procedimentos adequados que permitam levantar voo e transportá-lo em segurança até Roma, com escolta dos F-16 da Força Aérea Portuguesa.


Depois de alguns minutos de espera, o avião que transporta o papa, faz-se à pista. Pronto a adquirir velocidade para voar.


E ergue-se, de nariz empinado, recolhendo o trem de aterragem, pronto a transportar um homem bom, simples e incomum, que por acaso é papa. Ou não será por acaso?


A elevar-se no céu, pelos ares de Portugal, sobrevoando o casario de Monte Real, Francisco inicia o regresso ao Vaticano depois de 24 horas de estadia em Portugal, concretamente em Fátima, onde deixou muitos recados para os crentes, para os não crentes, para o clero que, segundo ele, deve fazer parte de uma igreja pobre mas rica em amor, sem faustos e transparente, que acorra aos que nela procuram esse amor e a solidariedade de que tantos estão carenciados.

Boa viagem, Francisco. Muito obrigado. Até à próxima oportunidade, com mais tempo.
PARTILHAR

Author: verified_user

Publicação luso-timorense sem fins lucrativos

0 comentários: