quarta-feira, 1 de fevereiro de 2017

BNU mantém maior quota de depósitos e créditos no sistema bancário em Timor-Leste

PARTILHAR
Díli, 01 fev (Lusa) - O BNU, sucursal da CGD em Timor-Leste, terminou 2016 com a maior quota do mercado em depósitos e créditos de clientes, de entre os quatro bancos que operam no país, melhorando oito pontos percentuais no que toca aos depósitos.

Os dados foram compilados e comparados pela Lusa com base na apresentação de resultados das quatro entidades que operam em Timor-Leste: o português BNU, o timorense BNCTL, o indonésio Mandiri e o australiano ANZ.

Em concreto, o BNU tinha no final de 2016 uma carteira de depósitos de 344 milhões de dólares ou (318,8 milhões de euros) o que correspondia a 38% do total do setor bancário que opera em Timor-Leste.

Este aumento representa um crescimento de oito pontos percentuais na quota de mercado no final de 2015 quando tinha depósitos de clientes no valor de 217,6 milhões de dólares (201 milhões de euros).

O indonésio Mandiri era o segundo dos quatro bancos com mais depósitos no final do ano passado (303,2 milhões de dólares ou 280,9 milhões de euros), seguindo-se o australiano ANZ com 172,1 milhões de dólares (159,5 milhões de euros) e o timorense BNCTL com 97,23 milhões de dólares (90,1 milhões de euros).

No que se refere à carteira de créditos, o BNU viu cair a sua quota de mercado de 42 para 38%, mas continua a ser a entidade financeira com maior volume de crédito, em concreto 69,3 milhões de dólares ou 64,2 milhões de euros (era de 79,6 milhões de dólares ou 73,76 milhões de euros no final de 2015).


O segundo maior emprestador foi o timorense BNCTL que passou de 44,4 milhões de dólares (41,17 milhões de euros) no final de 2015 para 60,49 milhões de dólares (56,1 milhões de euros) no final do ano passado.

Já o australiano ANZ também viu cair a sua carteira de créditos de 64,4 milhões de dólares (59,72 milhões de euros) em 2015 para 47,49 milhões de dólares (44 milhões de euros) no final do ano passado.

O indonésio Mandiri, que é o segundo maior banco em termos de depósitos, é o que tem menos créditos a clientes, somando pouco mais de cinco milhões de dólares (4,6 milhões de euros).

Todos os bancos registaram melhorias nos seus resultados líquidos com o BNU a obter 5,52 milhões de dólares (5,1 milhões de euros), o Mandiri a registar 2,4 milhões de dólares (2,2 milhões de euros), o BNCT a obter 2,1 milhões de dólares (1,95 milhões de euros) e o ANZ a registar 1,6 milhões de dólares (1,48 milhões de euros).

ASP // VM
PARTILHAR

Author: verified_user

Publicação luso-timorense sem fins lucrativos

0 comentários: