quinta-feira, 2 de agosto de 2018

Deixem Xanana em paz, deixem o revolucionário seguir o sonho tantas vezes adiado!

PARTILHAR

Já não é primeira nem a oitava vez que Xanana Gusmão ameaça abandonar a política e os governos que tem chefiado desde o golpe de estado em 2005/6, isso porque tem um importante projeto da sua vida privada, humanitário e empresarial, que vem adiando consecutivamente para servir Timor-Leste e os timorenses na governação eximia e transparente como diamantes translúcidos e reluzentes.

Ninguém deve ficar desiludido ou criticar Xanana por ele ao fim de décadas de luta armada e política não participar nas duras atividades governativas que o arrastam pela pobreza e frustração de não poder ser o agricultor que há décadas sonha, nem de não se afirmar como empresário agrícola de uma vasta plantação de abóboras, sempre em miscigenação com a terra que o viu nascer, que ajudou a libertar e que o há-de “comer” em sepultura digna de herói nacional que todos venerarão em mausoléu digno e merecido situado exatamente no centro do aboboral.

Nascido em Manatuto em 1944, Xanana conta presentemente 74 anos de idade. Desde pequenino que tem um projeto que contribuirá para combater a deficiente alimentação dos timorenses, a vasta plantação de abóboras de que há tantas décadas afirma querer dedicar-se.

Como se sabe, a abóbora provém de plantas da família Cucurbitaceae, e é nativa da América do Sul, possuindo Timor-Leste as condições climatéricas ideais para a fazer singrar em vasta plantação no país.

Como disse e questionou um Nobel eclesiástico timorense, muito dedicado às criancinhas: “Que raio, mas não pode um idolatrado herói nacional seguir o seu sonho de criança e plantar abóboras que alimentarão todos os timorenses. Principalmente os mais carenciados. Os do interior, aqueles que os sucessivos governos, desde a independência, têm votado quase ao abandono ou lhes dão umas migalhas enquanto comem o miolo?”

Na realidade a abóbora é extremamente nutritiva e considerada o ex-libris da alimentação saudável. A abóbora possui características antioxidantes e no caso do beta-caroteno este é convertido parcialmente em vitamina A no organismo. Ora é exatamente o que os timorenses precisam e Xanana Gusmão quer proporcionar-lhes.

Afinal, até na agricultura Xanana se mantém um revolucionário, perdulário que só pensa nos outros, nos mais necessitados de apoio social e alimentar que desde o período colonialista estão praticamente abandonados à sua sorte. Ou ao seu azar. O que podemos conjeturar é que a idolatria da heroicidade de Xanana Gusmão vai certamente tocar num pico muito mais elevado se lhe permitirem dedicar-se em pleno ao sonho que é a vasta plantação de abóboras.

Na atualidade Xanana, convocado para integrar o VIII governo, chefiado por Taur Matan Ruak, teve de simular uma discórdia para pretextar o abandono do cargo ministerial para que Taur o destinara. E isso tudo porquê? Para finalmente o deixarem em paz nos seus já 74 anos, feitos em Junho passado, e assim dar forma e conteúdo ao seu sonho, ao seu projeto empresarial e humanitário de tornar realidade uma vasta plantação para produção de abóboras.

Deixem Xanana Gusmão em paz. Deixem-no seguir o seu sonho: a vasta plantação de abóboras!

MM=AV | TA
PARTILHAR

Author: verified_user

Publicação luso-timorense sem fins lucrativos

0 comentários: