sábado, 27 de maio de 2017

Presidente do enclave timorense de Oecusse pretende reforçar parcerias com Portugal

PARTILHAR
Figueira da Foz, Coimbra, 26 mai (Lusa) - O presidente da região timorense de Oecusse-Ambeno, Mari Alkatiri, disse hoje, na Figueira da Foz, que pretende reforçar as parcerias com Portugal ao nível da saúde e da educação.

"Para atrair investidores para o país precisamos de dar uma certa segurança na saúde", sublinhou o antigo primeiro-ministro de Timor-Leste, que já assinou protocolos de colaboração com o Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra (CHUC), Hospital de São João no Porto e com alguns hospitais da área de medicina tropical em Lisboa.

Mari Alkatiri falava esta tarde no lançamento ao mar do 'ferryboat' construído na Figueira da Foz, que a partir do verão vai ligar o enclave à capital Díli, a ilha de Ataúro e as principais localidades da costa norte do país, nomeadamente Pante Macassar, a mais povoada cidade daquela região.

Em declarações aos jornalistas, o presidente da Autoridade da Região Administrativa Especial de Oecusse-Ambeno, enclave timorense em território indonésio, adiantou que na quinta-feira assinou um acordo de cooperação com o Serviço de Utilização Comum dos Hospitais (SUCH).

"Se queremos melhorar a assistência em saúde não podemos ignorar o serviço que o SUCH presta na área da manutenção e dos equipamentos, na escolha dos melhores equipamentos, na arquitetura dos centros de saúde, dos hospitais, e no fornecimento de catering para os hospitais", sublinhou.

Segundo Mari Alkatiri, o país precisa de "melhorar bastante todo este tipo de serviço na saúde de Timor-Leste, que faz ponte entre duas grandes regiões, mas fundamentalmente com a sub-região indonésia oriental, que está muito afastada do centro da Indonésia e muito mais próxima de Timor, que pode vir a ser um centro de desenvolvimento económico dessa sub-região".

O acordo com o SUCH, que ainda não tem valores quantificados, prevê a expansão da Clínica Especial de Oecusse e a introdução de "algumas valências de assistência terciária a nível de cardiologia, urologia e outras".

Nesta sua visita a Portugal, o antigo primeiro-ministro timorense tinha uma reunião marcado com o ministro da Saúde português, mas por causa da agenda eleitoral de Timor-Leste teve de antecipar o regresso e adiar o encontro.

AMV/JYGA // EL | Fotos: Fretilin.media, em Facebook
PARTILHAR

Author: verified_user

Publicação luso-timorense sem fins lucrativos

0 comentários: