quinta-feira, 9 de março de 2017

Advogado de ex-procurador de Macau abandona caso com críticas ao tribunal

PARTILHAR
Macau, China, 08 mar (Lusa) -- O advogado de defesa do ex-procurador de Macau, Ho Chio Meng, que está a ser julgado por mais de 1.500 crimes, abandonou hoje o caso dizendo que o tribunal não trata a defesa e acusação de forma igualitária.

Ho Chio Meng - que foi o chefe máximo do Ministério Público de Macau entre 1999 e dezembro de 2014 - está a ser julgado, desde 09 de dezembro, no Tribunal de Última Instância (TUI), por mais de 1.500 crimes, incluindo burla, abuso de poder, branqueamento de capitais e promoção ou fundação de associação criminosa.

Numa nota divulgada hoje, o TUI indica que o defensor de Ho Chio Meng fez um pedido de "abandono do patrocínio ao arguido e comunicado o assunto ao tribunal" pelo que foram canceladas as audiências de hoje e as dos dias 10 e 13 de março, sendo concedido ao arguido cinco dias para constituir novo advogado "sob pena de ser nomeado um novo advogado pelo tribunal".

Na nota o TUI indica ainda que notificou o defensor para "esclarecer o tribunal o motivo justificado do abandono".

Segundo o Canal Macau da TDM, a equipa de defesa disse aos jornalistas, à saída do tribunal, após uma sessão interrompida, não se sentir capaz de defender Ho devido à forma como são conduzidas as sessões em tribunal, e o advogado Leong Weng Pun disse mesmo que foi a primeira vez que desistiu de defender um cliente.

De acordo com a TDM, Leong foi interrompido várias vezes por um dos juízes do coletivo quando questionava uma testemunha hoje ouvida em tribunal.

O advogado chegou mesmo a dizer que parecia que o tribunal estava a tomar partido e queixou-se várias vezes de não ser capaz de defender o ex-procurador devido à forma como estava a decorrer a sessão.

ISG (DM) // PJA
PARTILHAR

Author: verified_user

Publicação luso-timorense sem fins lucrativos

0 comentários: