terça-feira, 20 de março de 2018

Governo timorense pede auditorias a petrolífera e sistema de cadastro timorenses

PARTILHAR

Díli, 20 mar (Lusa) - O primeiro-ministro timorense formalizou hoje um pedido de auditoria a "todas as operações de gestão financeira e contas" da petrolífera timorense Timor Gap, à autoridade nacional do setor (ANPM) e ao Serviço Nacional de Cadastro, anunciou o seu gabinete.

O pedido de auditoria abrange a gestão e contas da Timor Gap, da Autoridade Nacional do Petróleo e Minerais Timor-Leste (ANPM) e do Serviço Nacional de Cadastro (SNC) no período correspondente à última legislatura, ou seja entre 09 de agosto de 2012 a 14 de setembro de 2017.

Este pedido, explica uma nota do gabinete de Mari Alkatiri, surge na sequência dos pedidos de 06 e 20 de fevereiro para auditorias a todas as operações de gestão financeira e contas de 2016 da Autoridade da Região Administrativa Especial de Oé-cusse Ambeno (ARAEOA), que o próprio agora chefe do Governo liderou.

O pedido de auditoria abrange ainda o Tesouro, o Ministério das Obras Públicas, Transportes e Comunicações, da Agência de Desenvolvimento Nacional (ADN), o Fundo de Infraestruturas e o Ministério do Turismo, "cobrindo o período correspondente à última legislatura".

Em cartas enviadas ao presidente do Tribunal de Recurso e do Tribunal Superior Administrativo, Fiscal e de Contas, Deolindo dos Santos, Mari Alkatiri explica que os pedidos de auditoria pretendem garantir a "transparência na administração pública" com uma "cultura de rigor e responsabilização na gestão dos recursos financeiros do Estado".

"A gestão do país deve pautar-se, em todos os momentos, por princípios de rigor, transparência e responsabilização. Sem exceções", escreve nas cartas.

ASP // SB
PARTILHAR

Author: verified_user

Publicação luso-timorense sem fins lucrativos

0 comentários: