quinta-feira, 26 de abril de 2018

Timor-Leste sobe no índice de liberdade de imprensa

PARTILHAR
Díli, 26 abr (Lusa) - Timor-Leste subiu três pontos no índice de liberdade de imprensa da organização Repórteres Sem Fronteiras (RSF), sendo o país do Sudeste Asiático mais bem colocado, quase 30 lugares à frente do seguinte, a vizinha Indonésia.

No relatório de 2017, a organização não-governamental (ONG) destacou que nenhum jornalistas foi detido em Timor-Leste desde a restauração da independência, apesar de se referir a várias formas de pressão que continuam a ser exercidas sobre os jornalistas.

Estas pressões, "usadas para impedir os jornalistas de trabalhar livremente", incluem ações legais intimidatórias, violência policial e críticas de órgãos de comunicação social por funcionários do Governo ou deputados".

A RSF considerou a criação de um conselho de imprensa "um passo na direção certa, apesar das reservas expressadas pelos 'media' sobre a forma como os seus membros foram escolhidos".

Para a ONG mereceu nota negativa a lei de imprensa que "constitui uma ameaça permanente aos jornalistas e encoraja a autocensura".

A RSF afirmou esperar que, depois das eleições de 12 de maio, "o novo Governo continue a dar provas concretas da intenção de elevar Timor-Leste no índice da liberdade de imprensa mundial".

Apesar de subir três lugares, para 95.º, Timor-Leste perdeu dois pontos no 'valor' do índice, que passou de 32.82 para 30.81.

Na Ásia, a classificação destacou a subida de 20 lugares da Coreia do Sul, que passou para 43.º, um lugar abaixo de Taiwan e 15 à frente do Japão. Hong Kong surge em 70.º lugar.

Na região do Sudeste Asiático e do Pacífico, destaque para o 53.º posto da Papua Nova Guiné e o 57.º das ilhas Fiji. Depois de Timor-Leste, surgem a Indonésia (124.º), as Filipinas (133.º) Myanmar (137.º), Tailândia (140.º), Camboja (142.º), Malásia (145.º), Singapura (151.º), Brunei (153.º), Laos (170.º) e Vietname (175.º).

ASP // EJ
PARTILHAR

Author: verified_user

Publicação luso-timorense sem fins lucrativos

0 comentários: