domingo, 29 de abril de 2018

Presidente CNE verifica boletins de voto para legislativas

PARTILHAR

Díli, 27 abr (Lusa) - O presidente da Comissão Nacional de Eleições (CNE) timorense, Alcino Baris, visitou hoje as instalações da Gráfica Nacional onde foi concluída a impressão dos boletins de voto para as eleições legislativas antecipadas, a distribuir no início de maio.

No total foram impressos 17.481 livros de 50 boletins de voto cada, o que equivale a exatamente 874.050 boletins que estão agora empilhados em montes marcados com o nome de cada município ou, no caso da diáspora, dos países onde há centros de votação.

"O futuro de Timor está aqui nestes livros. O destino de Timor vai ser feito nestes livros. Impressos com qualidade, segurança e garantias. Um bom serviço", disse Baris, que visitou hoje a Gráfica Nacional onde os boletins foram impressos mais rapidamente do que o previsto.

Oito partidos e coligações apresentaram-se às eleições para as quais estão recenseados 787.761 eleitores, mais 22.903 do que os que estavam habilitados a votar nas eleições legislativas de 22 de julho do ano passado, o que representa um aumento de cerca de 3%.

O aumento foi ainda maior na diáspora, onde o número de eleitores recenseados quase triplicou, aumentando de 2.125 nas eleições de 2017 para 6.263 este ano.

Apesar disso, os quatro montes correspondentes aos boletins da diáspora são os mais pequenos: do mais pequeno para o mar, Coreia do Sul, Portugal, Austrália e Reino Unido.

Ainda que tenha aumentado em todos os círculos da diáspora, o recenseamento cresceu significativamente no Reino Unido, onde passou de apenas 208 para 3.414, motivo pelo qual as duas maiores forças políticas, Fretilin e AMP, já fizeram campanha junto da comunidade timorense ali radicada.

Alcino Baris explicou que os boletins vão ser formalmente entregues ao Secretariado Técnico da Administração Eleitoral (STAE) no dia 04 de maio, que depois fica responsável pela sua entrega nos municípios e, ao mesmo tempo, pelo transporte para a diáspora.

No que se refere aos centros de votação, a nível nacional vão ser instalados um total de 1.151 estações de voto dividas por 876 centros de votação que, por sua vez, vão ser instalados nos 452 sucos (equivalente a freguesias) do país.

No voto do ano passado foram instaladas 1.121 estações de voto divididas por 859 centros de votação para as legislativas de 22 de julho, dos quais pelo menos sete funcionaram no estrangeiro, na Austrália, Coreia do Sul, Portugal e Reino Unido.

Os boletins para a diáspora vão acompanhados de funcionários do Ministério dos Negócios Estrangeiros, da CNE e do STAE que os distribuirão pelos nove centros de votação.

Na Austrália, onde estão recenseados 1.532 eleitores, vão ser habilitados três locais para votar - Darwin, Melbourne e Sydney - e na Coreia do Sul os 537 eleitores recenseados terão um centro de votação em Seoul.

Em Portugal - onde há recenseados 1.286 eleitores - haverá dois centros (Lisboa e Porto) e no Reino Unido os 2.128 eleitores podem votar em Dungannon, Londres e Oxford.

A campanha para as eleições termina a 09 de maio antes de dois dias de reflexão que, em muitos casos, permitem aos timorenses viajar para os locais onde estão recenseados.

ASP // VM
PARTILHAR

Author: verified_user

Publicação luso-timorense sem fins lucrativos

0 comentários: