quinta-feira, 3 de maio de 2018

AMP: Alternativa Politica Plausível

PARTILHAR
Roger Rafael Soares * | opinião

O decorrer da campanha política está a ser marcada por fortes e intensos discursos pelos vários líderes políticos, mas num ambiente estável. O ambiente de uma campanha politica num sistema democrático é isso mesmo, um palco onde as várias forcas políticas ou coligações se disputam, envolvidos num ambiente livre e plural, onde o respeito pelo Povo esteja acima de tudo. É importante referir que as campanhas politicas fazem parte do regime democrático pelo que desempenham um papel crucial, na medida em que é pelas mesmas que os eleitores irão decidir o seu voto, e dessa forma elegerem os seus representantes. E é durante as campanhas que os partidos políticos apresentam os seus programas, propostas e objetivos, pelas quais se estabelece, assim um fluxo de informação entre os partidos políticos, eleitores e meios de comunicação.

Ora, avaliando o quadro atual da política nacional, a AMP é a união de três forcas politicas que mais garantirá a estabilidade, não só politica, mas também social. Promoverá politicas de verdade, senão vejamos as razões pelas quais os eleitores devem votar no P-CNRT e os seus aliados políticos?

É preciso relembrar aos partidos da oposição que o CNRT tem procurado, ao longo da sua governação, combater a corrupção, tendo para o efeito proporcionado e criado mecanismos e instrumentos de combate à corrupção. É preciso relembrar aos adversários políticos da criação da Comissão Anticorrupção em 2009. Comissão essa que pretende dotar o Estado de polícia criminal especializada, independente, que na sua atuação se conduza apenas por critérios de legalidade e objetividade, em articulação com as autoridades competentes, como é indispensável para a sua credibilidade enquanto mecanismo de combate à corrupção.

É preciso relembrar a criação do um portal de transparência, "Portal de Transparência de Timor-Leste", que permite acompanhar a execução do orçamento do Estado. E da implementação do sistema free balance para permitir aos cidadãos o acesso dos históricos financeiros e informação financeira de forma monitorizar com efetividade o fundo de Estado. É preciso relembrar que o Fundo Soberano de Timor é um dos Fundos Soberanos de Riqueza com melhor desempenho do mundo. E estes factos servem de resposta a todos aqueles que alegam que o CNRT interfere no processo de transparência e gestão dos dinheiros e contas públicas, e que durante 10 anos de governação sem fazer nada. É preciso relembrar aos partidos adversários, que de facto têm demonstrado ter uma memória muito curta, que o CNRT tem lutado pela defesa do bem comum, do interesse nacional, e, portanto, tem tratado dos assuntos, dos problemas e desafios numa ótica de interesse nacional.

Precisamos dizer ao povo que, nesta campanha, a Aliança Maioria Parlamentar, composta pelo CNRT, PLP e KHUNTO, tem abordado todos os assuntos numa ótica de interesse nacional e não numa ótica de interesse eleitoral. Aquilo que a AMP quer para estas eleições é a confiança do Povo, para juntos desenvolver o país e continuar a dar benefícios ao povo. Para que os mais frágeis, os idosos, mães, crianças, veteranos, continuem a receber as suas pensões. Para que se continue a garantir a estabilidade e a segurança, bem como a fortificar ainda mais o nosso Estado social na saúde e na educação. Se proporcione mais investimento nas infraestruturas: estradas, pontes, aeroportos, portos e construção de grandes projetos Costa Sul, Betano - Suai. Promover uma maior projeção de Timor Leste na cena internacional através da participação no G7+ e integração na ASEAN. Desenvolver esforços e meios que garantam a exploração do petróleo em Timor Leste. Reforçar o desenvolvimento e capacitação do sector privado, mediante concessão de empréstimos bancários, com juros baixos. Maior e melhor aposta na criação de emprego para os jovens desempregados. Prosseguir com a execução da politica de Descentralização Administrativa e Poder Local, que irá permitir um desenvolvimento mais equativo por todo o território nacional e que esse desenvolvimento chegue a todas as aldeias de Timor-Leste. Estes objetivos espelham politicas direcionadas para a promoção do bem-estar do Povo e da Nação, bem como do desenvolvimento social e económico do país. Mas, também, temos a consciência de que há muito para se fazer, e é nessa base que a AMP agirá e atuará perante os problemas e os desafios, pois nós não viramos a cara às necessidades, problemas e às questões de interesse nacional. A AMP existe para servir a Nação e o Povo. O projeto político da AMP é um projeto a pensar no futuro, a pensar na melhoria das condições do povo, na melhoria das infraestruturas, no desenvolvimento do país.

A AMP espelha a ambição de uma governação forte, com elevado sentido de Estado e responsabilidade institucional em melhorar as politicas já desenvolvidas, bem como desenvolver novas políticas para solucionar os problemas e desafios do país.

*Rojer Rafael Tomás Soares, Ailili, Manatuto, rrtsoares@hotmail.com
PARTILHAR

Author: verified_user

Publicação luso-timorense sem fins lucrativos

0 comentários: