segunda-feira, 25 de junho de 2018

Nomeação de novo ministro da Defesa de Timor aguarda fim de processo administrativo

PARTILHAR

Díli, 25 jun (Lusa) - A nomeação do novo ministro da Defesa timorense, Filomeno Paixão, está dependente de um processo administrativo que formalize a sua exoneração como número dois das Forças de Defesa de Timor-Leste (F-FDTL), confirmaram fontes da Presidência.

"Há um processo administrativo relacionado com a sua exoneração e passagem à reforma. Não há qualquer outra questão", confirmou uma fonte do gabinete do Presidente Francisco Guterres Lu-Olo.

O nome de Filomeno Paixão como nomeado para ministro da Defesa fazia parte da lista que o primeiro-ministro, Taur Matan Ruak, entregou na semana passada ao Presidente da República, que acabou por não dar posse a onze dos nomes nessa lista.

A maior parte dos casos teve a ver com o facto de alguns desses dirigentes estarem, alegadamente, envolvidos em casos relacionados com a Justiça, o que não ocorre no caso de Filomeno Paixão.

"No meu caso é apenas concluir os trâmites necessários ao processo", disse o próprio Filomeno Paixão à Lusa, à margem da tomada de posse do primeiro-ministro Taur Matan Ruak e do primeiro grupo de membros do VIII Governo, na passada sexta-feira.

O próprio Francisco Guterres Lu-Olo tinha confirmado a decisão de Filomeno Paixão pedir a exoneração do cargo e passagem à reforma.

"O senhor brigadeiro-general fez o pedido de passagem à reforma ao senhor comandante Lere e enviou uma carta. Penso que o processo será relativamente fácil", disse à Lusa o Presidente da República, Francisco Guterres Lu-Olo.

"Quero deixar aqui um vivo reconhecimento por tudo o que fez durante todos estes anos", disse Lu-Olo.

Pelo seu passado e ligação às forças de defesa - e antes disso ao braço armado da resistência timorense - Lu-Olo considera que é uma escolha "muito boa" para o cargo de ministro da Defesa.

Nascido em 1953, Filomeno da Paixão de Jesus ingressou nas Falintil em 1975, aquando da sua formação e, com a restauração da Independência, permanece integrado nas fileiras das Forças de Defesa.

Condecorado pelo Presidente da República pelos serviços prestados na Operação Halibur, Filomeno da Paixão de Jesus foi promovido a coronel no dia 14 de janeiro de 2009, tendo posteriormente completado o Curso de Promoção a Oficiais Generais.

Era desde 2010 chefe de Estado-Maior das F-FDTL.

ASP // JMC
PARTILHAR

Author: verified_user

Publicação luso-timorense sem fins lucrativos

0 comentários: