sexta-feira, 8 de fevereiro de 2019

Responsável de supermercado timorense confirma negociações com potenciais compradores

PARTILHAR

Díli, 07 fev (Lusa) -- O dono de um dos supermercados mais antigos de Díli, o grupo Kmanek, disse hoje que ainda está em negociações com eventuais compradores, incluindo estrangeiros para a operação que tem sido seriamente afetada pela situação económica do país.

"Ainda estamos a tentar negociar com compradores. Ainda não há calendário e nada está fechado", disse à Lusa Clarence Lim, dono do grupo Kmanek que detém lojas e armazéns em Díli.

O grupo teve já que despedir um primeiro grupo de 63 trabalhadores sendo que um eventual encerramento poderia afetar centenas de postos de trabalho diretos e indiretos.

Lim - que abriu a primeira loja em Díli há 15 anos -- admitiu no mês passado que a situação do grupo estava seriamente afetada pela crise económica de Timor-Leste.

Lim explicou que problemas com a linha de crédito do seu banco agravaram os problemas financeiros ao Kmanek, que está "sem dinheiro" para ir às compras e reabastecer prateleiras.

O consumo continua sem recuperar e, por isso, garantir um "'cash flow' adequado torna-se mais difícil", disse.

O responsável do Kmanek lamentou que a situação tenha chegado a este ponto, admitindo que depois das perdas acumuladas as coisas "estão muito complicadas".

"É muito triste. Depois de 15 anos, chegar aqui. Tentar criar empregos, construir uma comunidade. Poderá haver milhares de famílias afetadas, por isso quero tentar ao máximo uma transição sem sobressaltos", afirmou.

Nas últimas semanas já se tornou evidente o impacto da situação do Kmanek, com prateleiras mais vazias e vários produtos a não serem substituídos.

O caso não é único em Timor-Leste, que tem sofrido significativamente o impacto da crise política e económica.

O país começou 2019 em duodécimos depois do atraso na aprovação do Orçamento Geral do Estado (OGE) foi vetado pelo Presidente da República, foi alterado pelo parlamento e está de novo a ser analisado pelo chefe de Estado. 

ASP//MIM
PARTILHAR

Author: verified_user

Publicação luso-timorense sem fins lucrativos

0 comentários: