segunda-feira, 8 de abril de 2019

Comissão para investigar massacre na Nova Zelândia arranca em maio

PARTILHAR

Sidney, Austrália, 08 abr (Lusa) - A primeira-ministra da Nova Zelândia anunciou hoje que a Comissão Especial encarregada de investigar o massacre em Christchurch, que causou em março 50 mortos e quase meia centena de feridos, vai iniciar os trabalhos dia 13 de maio.

"A comissão tem um papel decisivo na compreensão do que aconteceu antes do ataque e garantir que esses atos não aconteçam novamente", disse Ardern, durante uma conferência de imprensa em Wellington.

A Comissão, que será presidida pelo juiz do Supremo Tribunal, William Young, deve entregar as suas conclusões em 10 de dezembro e, entre outras coisas, analisará o papel do Serviço de Inteligência e Segurança da Nova Zelândia, o Escritório de Segurança do Governo em Comunicações, a Polícia, a Alfândega e a Imigração.

"Examinarmos o mais rápido possível o que aconteceu no ataque de 15 de março, o que poderia ter sido feito para pará-lo e como podemos manter as crianças neozelandeses seguras", acrescentou Jacinda Ardern.

Na semana passada, os deputados da Nova Zelândia votaram a favor de novas restrições ao uso e compra de armas naquela que foi a primeira etapa de um projeto de lei que deverá ser aprovado durante esta semana.

A nova lei vai proibir o uso e compra do tipo de armas usadas pelo homem que matou 50 pessoas em duas mesquitas em meados de março.

O projeto de lei foi apoiado por liberais e conservadores, com apenas um único legislador dos 120 que estão no Parlamento a votar contra.

MIM (JMC) // JMC
PARTILHAR

Author: verified_user

Publicação luso-timorense sem fins lucrativos

0 comentários: