quinta-feira, 16 de maio de 2019

Governo timorense pede colaboração dos média para reforçar deveres cívicos

PARTILHAR

Díli, 16 mai 2019 (Lusa) -- O Governo timorense pediu hoje aos média para colaborarem numa mensagem de apelo aos cidadãos para cumprirem os seus deveres cívicos, dando como exemplos questões como o lixo ou o trânsito, que exigem o apoio de todos.

"Trata-se de fazer um balanço precário e difícil entre o direito e o dever de todos. Temos, por vezes, um foco excessivo nos direitos, mas sem focos no dever cívico do cidadão", afirmou hoje o ministro da Reforma Legislativa e Assuntos Parlamentares, Fidelis Magalhães.

"Os média podem contribuir para fortalecer o espírito e a noção de dever cívico. Nenhum Governo consegue resolver tudo. E os média podem contribuir para a responsabilidade do dever cívico do cidadão", disse ainda.

Num encontro com jornalistas em Díli, Fidelis Magalhães reafirmou a importância do papel da comunicação social "na construção da nação e no processo de desenvolvimento" do país.

Os responsáveis da comunicação social timorenses e da Lusa foram convidados para um 'briefing' sobre "o Estado do Governo" no Palácio do Governo em Díli, convocado para "cimentar a parceria com os média em termos de disseminação de informação" sobre a ação governativa.

O Governo, disse o ministro, tem estado a tentar assumir um papel proativo "para tornar o Estado mais forte, reforçar o sentido de pertença ou sentido de nação", um processo "impossível sem o apoio e o trabalho da comunicação social e dos média".

Reiterando que não se trata de questionar ou limitar de qualquer forma a liberdade de imprensa consagrada no país, Magalhães pediu apoio aos jornalistas para que não entrem numa agenda de "populismo" que cria a expectativa de que "o Estado e o Governo têm de resolver tudo".

Fidelis Magalhães apontou os exemplos do trânsito ou do lixo, áreas em que o Governo tem tomado medidas, mas em que considerou essencial que os cidadãos cumpram o dever cívico.

"Não podemos ter um polícia em cada esquina para controlar o trânsito", disse, acrescentando, no que se refere ao lixo, que "o Governo continua a trabalhar para melhorar os serviços, mas não se resolve sem o apoio de todo e sem os cidadãos cumprirem os seus deveres cívicos".

Na sua intervenção, Fidelis Magalhães saudou o papel que os média têm tido na "exigência de que quem exerce cargos públicos cumpra os seus deveres e responsabilidade".

"Deve-se continuar a exigir dever e responsabilização de quem exerce cargos públicos. Aplaudo o que têm feito nesta questão. Espero que em Timor-Leste essas exigências continuem. Quem exerce cargos públicos tem de ser responsabilizado", afirmou.

ASP // ROC
PARTILHAR

Author: verified_user

Publicação luso-timorense sem fins lucrativos

0 comentários: