quinta-feira, 23 de maio de 2019

AKAI VIVERÁ | Bebé timorense vai ser operado em Díli, não em Luanda

PARTILHAR

Foi há cerca de três semanas que Timor Agora deu destaque ao caso do bebé timorense Akai, que padece de hidrocefalia. Revelámos então que a ONG Tropas da Paz, em Angola, após tomar conhecimento do estado de saúde de Akai, propôs responsabilizar-se pelo seu tratamento, que incluía a operação indispensável para aqueles casos, condições então inexistentes em Timor-Leste.

Após algumas semanas de movimentação do pessoal clínico, a ONG e o Estado de Timor-Leste, sabemos que o pequeno Akai vai finalmente receber o tratamento adequado, devendo ser operado em Díli, no Hospital Guido Valadares. Não sendo necessário viajar até Luanda para a intervenção cirúrgica. Despesa de deslocação aérea que devia ser suportada por beneméritos ou pelo Estado timorense. Obviamente que os cuidados clínicos e a operação seria oferta a expensas das Tropas da Paz, organização que é especialista nos casos de hidrocefalia, como mostramos anteriormente em imagem.

Oficial

A Embaixada da RDTL em Angola informa as Tropas da Paz que Dili informou "que o menino timorense Akai já não viajará para Angola e será operado brevemente no Hospital Nacional Guido Valadares, em Dili." 

É exatamente o que pode ler no documento cuja cópia apresentamos seguidamente. O que significa que Akai será o paciente pioneiro naquele tipo de intervenção cirúrgica em Timor-Leste. O que não se sabe é se chegarão a Díli especialistas do estrangeiro para efetuar a delicada tarefa ou se serão profissionais da saúde já no Guido Valadares que tomarão para si e seus conhecimentos e prática da intervenção que salvará a vida e o futuro de Akai. Estamos em crer que a seu tempo viremos a saber e passaremos a informação.

Seja como fôr existe algo de positivo que está a acontecer e uma luz ao fundo túnel se acendeu para o bebé Akai. Para ele e para os que se propõem salvá-lo garantidamente que todos desejamos a maior sorte do mundo. (TA)

PARTILHAR

Author: verified_user

Publicação luso-timorense sem fins lucrativos

0 comentários: