segunda-feira, 1 de abril de 2019

Timor-Leste quer renováveis a garantirem 70% da produção de energia em 2030

PARTILHAR

Macau, China, 28 mar (Lusa) -- O diretor-geral do Ambiente de Timor-Leste disse hoje que o país está a trabalhar para que em 2030 as renováveis garantam 70% da energia produzida no país e sublinhou a necessidade de investimento estrangeiro.

"Precisamos de investimento direto externo (...) para desenvolver as indústrias sustentáveis (...) e precisamos de melhorar as infraestruturas", afirmou João Carlos Soares no discurso de abertura de uma das sessões do Fórum e Exposição Internacional de Cooperação Ambiental de Macau (MIECF, na sigla inglesa), que teve hoje início.

O responsável timorense sublinhou que esta aposta visa assegurar o desenvolvimento do país e que a meta é ter "70% de energia renovável em 2030".

Na abertura de um painel destinado a discutir a importância da cooperação regional nos projetos ambientais e da economia verde, o diretor-geral do Ambiente de Timor-Leste frisou o trabalho que tem sido efetuado com outros países.

João Carlos Soares destacou as parcerias em áreas que vão desde o combate às alterações climáticas, à proteção da biodiversidade e das zonas costeiras, numa estratégia de conservação dos recursos naturais.

O MIECF acolhe até sábado mais de 500 expositores, provenientes de cerca de 20 países e regiões.

As sessões integram oradores de cerca de 70 pioneiros ambientais, líderes de empresas multinacionais e criadores de políticas, provenientes de sete países e regiões, nomeadamente, da China interior, Holanda, Portugal, Timor-Leste, Reino Unido, Hong Kong e Macau.

O MIECF 2019 ocupa uma área total de exposição de mais de 16.900 metros quadrados.

JMC // SB
PARTILHAR

Author: verified_user

Publicação luso-timorense sem fins lucrativos

0 comentários: